X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

A INFLUENCIA DA FILOGENIA DO HOSPEDEIRO (CHIROPTERA: PHYLLOSTOMIDAE) NA COMUNIDADE DE ECTOPARASITOS (DIPTERA: STREBLIDAE)

Resumo

Além dos aspectos ecológicos, a distância filogenética do hospedeiro pode ser considerada um dos principais reguladores da composição parasitária. Hospedeiros filogeneticamente próximos compartilhariam muitas características devido à ascendência comum e herdariam espécies parasitas dos seus ancestrais. Dessa forma, a redução da distância filogenética entre as populações de hospedeiros resultaria em um aumento da similaridade na composição da comunidade de parasitos. Esse estudo teve como objetivo verificar se os ectoparasitos de morcegos infestam hospedeiros filogeneticamente mais próximos entre si do que o esperado ao acaso, utilizando dados da relação parasito-hospedeiro entre filostomídeos e estreblídeos. Foi utilizada uma árvore filogenética de mamíferos de onde foram extraídas as espécies de morcegos hospedeiros já registrados em publicações científicas. A fim de eliminar associações que pudessem ser temporárias ou acidentais, consideraram-se apenas as relações que apresentavam maior constância (mínimo cinco registros). A distância filogenética entre cada hospedeiro foi calculada utilizando o comprimento dos ramos que conectam tais espécies, sendo ajustado a uma matriz de distância. A similaridade na composição de espécies de parasitos foi verificada através do índice de Jaccard. Por fim, para avaliar se hospedeiros filogeneticamente mais próximos são mais similares em relação à composição de ectoparasitos, foi realizado um teste de Mantel correlacionando as matrizes de distância e de dissimilaridade. As análises foram realizadas no software R, com nível de significância de 5%. Foi utilizada a relação entre 24 espécies de morcegos filostomídeos e 37 espécies de estreblídeos. A similaridade na composição da comunidade de ectoparasitos associados a hospedeiros mais próximos filogeneticamente não diferiu do esperado pelo acaso (Mantel= -0,19; p= 0,15). Essa ausência de relação pode estar associada a alta especificidade dos parasitos (que indica o quão exclusivo é aquela espécie de parasito a determinado hospedeiro), uma vez que 65,6% dos parasitos analisados foram considerados monoxenos, ou seja, ocorreram em apenas uma espécie hospedeira. Geralmente, a especificidade pode explicar as mudanças encontradas nas comunidades de parasitos, podendo-se dizer que o padrão de distribuição dos parasitos tende a variar de acordo com sua exclusividade ao hospedeiro. Essa especificidade é considerada um indicativo de história evolutiva antiga e filogenias congruentes entre as espécies parasitas e hospedeiras, podendo ser resultado de uma adaptação entre estas, onde os parasitos possuiriam baixa capacidade de sobrevivência em um hospedeiro não habitual. Assim, é possível que a similaridade na comunidade de parasitos monoxenos seja mais fortemente influenciada pela composição das espécies hospedeiras e por aspectos ecológicos como idade, estágio reprodutivo, tipo de abrigo do hospedeiro, mobilidade do parasito e características ambientais. Dessa forma, para melhor compreender tais interações faz-se necessário analisar tanto os aspectos ecológicos como a história evolutiva entre parasito-hospedeiro que podem estar atuando sobre a composição parasitária.

Palavras-chave

Especificidade, estreblídeos, morcego, parasitismo.

Financiamento

CAPES

Área

Parasitologia/Epidemiologia

Autores

Rayanna Hellem Santos Bezerra, Adriana Bocchiglieri