X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

FILOGEOGRAFIA DE SOORETAMYS ANGOUYA (CRICETIDAE: SIGMODONTINAE)

Resumo

Sooretamys angouya é a única espécie desse gênero de roedores, com distribuição na Mata Atlântica ao sul do Rio Doce. Essa espécie apresenta variação geográfica morfológica e genética: indivíduos do Paraguai são maiores que aqueles do leste da distribuição e tendem a formar um grupo haplotípico coeso de citocromo-b (cit-b). Com base nisso, o objetivo deste trabalho foi inferir a filogeografia de S. angouya baseada em diferentes marcadores moleculares: dois nucleares, o íntron 7 do β-fibrinogênio (fgb-7, 618 pb) e o íntron 2 da pré-pró-insulina 1 (ins, 558 pb); e um mitocondrial, o cit-b (675 pb). Empregamos 42 amostras de 24 localidades que abrangem toda a distribuição da espécie, tendo como grupos externos Nectomys squamipes, Cerradomys akroai, Neacomys spinosus e Juliomys pictipes. Os marcadores foram amplificados via PCR e sequenciados com os primers β17-mammL e βfib-mammU (para fgb-7), Ins A e Ins B (para ins) e MVZ 05 e MVZ 16 (para cit-b). As sequências foram alinhadas e as árvores filogenéticas geradas por máxima verossimilhança (MV, IQ-Tree 1.6.10) e inferência bayesiana (IB, Mr. Bayes 3.2.6), empregando os três genes concatenados. A distância genética par a par entre as sequências foi calculada no MEGA 7. A monofilia de Sooretamys foi fortemente suportada (bootstrap=100; pp=100). As duas análises recuperaram várias linhagens, dentre elas três clados (A, B e C) em politomia basal, não sendo possível estabelecer as relações filogenéticas entre eles. O clado A (bootstrap=73; pp=82) apresenta alguns indíviduos de ES, MG, PR, Argentina e Paraguai; o clado B (bootstrap=78; pp=89) agrupa indivíduos de MG, SC, RS e Argentina; o clado C (bootstrap=94; pp=100) compreende apenas indivíduos do Paraguai. Apesar dos indivíduos do Paraguai serem maiores do restante da população, os indivíduos paraguaios do clado A estão mais próximos de indivíduos da Argentina e do sudeste e sul do Brasil do que dos outros indivíduos paraguaios. A distância genética média entre os clados A e B foi de 0,7%, enquanto que a divergência média entre o clado C e os outros dois foi de 0,8%. A distância genética entre os clados seguiu os padrões de divergência par a par da espécie, que variou de 0,1% a 1,8%, com média de 0,8%. Para os marcadores separadamente, as distâncias genéticas máximas foram de 0,8% (fgb-7), 2,7% (ins) e 3,2% (cit-b), com médias de 0,2%, 0,5% e 1,5%, respectivamente. Logo, cit-b apresentou maior variação genética entre os marcadores utilizados. Sooretamys angouya apresenta continuidade filogenética com baixa divergência e pouca estruturação espacial, indicando interconexões extensivas e recentes em função de fluxo gênico e consequentemente ausência de barreiras zoogeográficas.

Palavras-chave

Filogenia, multiloci, genética evolutiva, Oryzomyini.

Financiamento

CAPES, FAPES e CNPq.

Área

Evolução

Autores

Christyan Lemos Bergamaschi, Iara Araujo Capucho, Yuri Luiz Reis Leite, Elisandra Almeida Chiquito