X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

MAMÍFEROS EM UM FRAGMENTO DE MATA ATLÂNTICA NO ESTADO DO PARANÁ, SUL DO BRASIL.

Resumo

Os mamíferos apresentam grande diversidade funcional, desempenhando importantes papéis ecológicos. Naturalmente, esses vertebrados são fundamentais para o equilíbrio dos ecossistemas. Avaliar as condições populacionais da fauna em regiões que sofrem interferência antrópica é fundamental para assegurar a proteção efetiva dentro de Unidades de Conservação. Assim, o inventário de espécies é uma forma direta de acessar parte dos componentes da diversidade de uma região, em um determinado espaço e tempo. Este estudo buscou estimar a riqueza de mamíferos de médio e grande porte próxima a zona de amortecimento (ZA) do Parque Nacional Guaricana, região do município de São José dos Pinhais - PR.

O levantamento foi conduzido em um remanescente de Mata Atlântica com aproximadamente 28 ha no período de junho a novembro de 2018, totalizando esforço amostral de 1742 armadilhas/dia. Foram utilizadas armadilhas fotográficas para amostragem de mamíferos, assim como registros ocasionais, considerando apenas indivíduos com peso corporal igual ou superior a 1 kg. A riqueza foi obtida pelo estimador não paramétrico Jackknife 2.

Foram registradas 19 espécies de mamíferos, inseridos em oito ordens e 11 famílias. A análise das categorias de dieta evidenciou que 52,6% das espécies são onívoras, 5,2% frugívora, 21% carnívoras e 21% herbívoras. Entre os taxa ocorrentes na área, sete aparecem em alguma categoria de ameaça nas listas vermelhas, ou em categorias de interesse para conservação. Nas listas regional e nacional Leopardus guttulus, L. wiedii, Puma concolor e Mazama bororo figuram na categoria Vulnerável, enquanto Tapirus terrestris é classificada como Em perigo em âmbito regional. Tomando por base a frequência de ocorrência das espécies, classificamos como raras aquelas com registros muito baixos, como P. concolor e P. yagouaroundi, cervídeos e algumas espécies de herbívoros. O esforço amostral total avaliado pela construção da curva do coletor e do estimador de riqueza indica que as espécies registradas na área foram bem amostradas, segundo a estimativa de riqueza de 15.09±3.11 espécies.

A riqueza de espécies observada nesse estudo (n=19) representa cerca de 10% dos mamíferos encontradas na Mata Atlântica do Estado, e o enquadramento de 42% das espécies em alguma categoria de ameaça de extinção, enaltece a importância de estudos no PARNA e na ZA para a preservação regional. Nesta perspectiva, a área de entorno de quaisquer UCs deve despender grande atenção por parte dos administradores das unidades, uma vez que nessa região ocorre o embate direto entre conservação e ações antrópicas. Portanto, apresentamos o primeiro levantamento mastofaunístico para o parque objetivando dados básicos para avaliar sua importância ecológica e traçar estratégias para a conservação dessas espécies. Este estudo vem colaborar com o preenchimento de lacunas através do levantamento de dados ressaltando a importância da avaliação do status dessas populações, assim como evitar a exclusão de uma porção significativa de área necessária para manter a estrutura trófica do ecossistema. Além disso, as espécies listadas revelam que, apesar de fragmentada e alterada, essa região suporta uma comunidade representativa de mamíferos.

Palavras-chave

Mastofauna, Inventário, Riqueza, Armadilha fotográfica, Conservação

Financiamento

Área

Inventário de Espécies

Autores

Manuela Catharina Twardowschy, André Luiz F. Silva, Fernando C. Passos