X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PEQUENOS MAMIFEROS PREDADOS POR CORUJA NO MUNICIPIO DE RIO DO OESTE, ESTADO DE SANTA CATARINA

Resumo

A análise e a identificação dos restos de pequenos mamíferos predados por aves de rapina representam uma ferramenta útil em estudos mastozoológicos, complementando as amostragens com métodos tradicionais de captura. Neste trabalho apresentamos os resultados do estudo com pequenos mamíferos predados por coruja, encontrados ao lado da Gruta do Presépio (27°13’13”S/49°46’39”O; datum WGS84), em uma área de floresta ombrófila densa no município de Rio do Oeste, Alto Vale do Itajaí, Santa Catarina. A gruta representa uma cavidade natural escavada em arenito situada em um fragmento florestal em uma paisagem formada por um mosaico de áreas florestais, agrícolas e urbanas. A amostra foi obtida no período de 10 a 21 de julho de 2018 e incluía principalmente ossos já soltos, além de 10 pelotas e quatro roedores recém mortos, todos associados à predação por coruja (espécie indeterminada). O número mínimo de indivíduos (MNI) por táxon foi calculado para os fragmentos. A amostra foi depositada na Coleção de Fragmentos Ósseos do Laboratório de Paleontologia (UFSC-CF 61) e na Coleção de Mamíferos do Departamento de Ecologia e Zoologia (UFSC 6163 a 6166), ambas da Universidade Federal de Santa Catarina. A identificação dos espécimes foi feita por comparação com material depositado nessas coleções. Os fragmentos foram referidos a Didelphis sp. e Gracilinanus microtarsus (Didelphimorphia, Didelphidae); Molossus molossus e Molossidae indeterminado (Chiroptera, Molossidae); Akodon montensis, Delomys sp., Juliomys pictipes, Oligoryzomys sp., Oxymycterus quaestor, Sooretamys angouya e Thaptomys nigrita (Rodentia, Cricetidae); Euryzygomatomys spinosus (Rodentia, Echimyidae); Mus musculus, Rattus rattus e Rattus sp. (Rodentia, Muridae). As espécies de marsupiais, morcegos e o Echimyidae apresentaram MNI=1 (0,4%) para cada caso. Oligoryzomys sp. foi o táxon dominante, com MNI=162 (62,1%), seguido por M. musculus (MNI=36; 13,8%) e A. montensis (MNI=29; 11,1%). Os roedores encontrados mortos foram Oligoryzomys flavescens (n=1), O. nigripes (n=2) e M. musculus (n=1). O predomínio de roedores, principalmente de cricetídeos, na amostra analisada segue o padrão registrado em estudos com Tyto furcata (coruja-da-igreja) realizados tanto na região Sul do Brasil, quanto em outras partes da América do Sul. Essa coruja é considerada uma predadora especializada na captura de roedores e pode ser a responsável pelo acúmulo de material encontrado próximo da Gruta do Presépio. O material de Delomys e Oligoryzomys foi identificado apenas a nível de gênero devido à possibilidade de ocorrência de duas espécies em cada caso na área de estudo e pela ausência de caracteres diagnósticos entre essas espécies nos fragmentos preservados. Dessa forma, estudos mais aprofundados sobre a variação morfológica intra e interespecíficas de várias espécies de pequenos mamíferos sul-americanos são ainda fundamentais para os trabalhos com regurgitos de aves de rapina.

Palavras-chave

Didelphimorphia, Chiroptera, Rodentia, egagropilos, Mata Atlântica

Financiamento

Área

Inventário de Espécies

Autores

Jorge José Cherem, Patrícia Hadler