X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ESPECIES EMARANHADAS ENTRE PEQUENOS MUNDOS EM REDES DE INTERAÇOES MULTICAMADA

Resumo

Desde que Darwin lançou a metáfora da “colina emaranhada” no último parágrafo de “A origem das espécies”, vimos tentando entender as múltiplas relações entre os seres vivos. Hoje, a ciência de redes nos permite desemaranhar essa complexidade de forma mais eficiente. Nesta palestra, apresento uma síntese da nossa linha de pesquisa no laboratório nos últimos 10 anos, desenvolvida junto com colaboradores e sintonizada com os esforços de outros grupos ao redor do mundo. Demonstro como estudar dois ou mais tipos de interações na mesma rede tem mudado o nosso entendimento sobre as regras de montagem de sistemas complexos ecológicos. Explico como marsupiais e roedores podem mudar suas relações com as plantas do mutualismo ao antagonismo, dispersando ou destruindo sementes, de acordo com uma série de condições. Usando morcegos filostomídeos como modelo, mostro como esses mamíferos vivem entre dois mundos – nectarivoria e frugivoria, com sua importância relativa em cada um deles sendo regida principalmente por sua morfologia funcional. Traço paralelos entre esses sistemas formados por mamíferos e plantas e outros compostos por aves, abelhas, vespas e formigas. Concluo fazendo inferências sobre como redes multicamada influenciam serviços ecossistêmicos e proponho perspectivas na área.

Palavras-chave

Redes ecológicas, ciência de redes, mutualismo, antagonismo, comensalismo, ecologia de comunidades, interações interespecíficas, morcegos, roedores, marsupiais, formigas, abelhas.

Financiamento

Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Alexander von Humboldt Stiftung.

Área

Ecologia

Autores

Marco A. R. Mello