X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DIFERENCIAÇAO MORFOLOGICA E CARIOTIPICA ENTRE TRINOMYS GRATIOSUS E TRINOMYS MOOJENI (RODENTIA, ECHIMYIDAE)

Resumo

Trinomys é um gênero de roedores equimídeos conhecidos popularmente como ratos-de-espinho devido à presença de pelos guarda aristiformes. Composto por dez espécies e oito subespécies reconhecidas, endêmicas da costa leste brasileira, o grupo ocupa majoritariamente áreas de mata atlântica, podendo também ser encontrado no cerrado e caatinga. Este trabalho visa abranger as diferenças morfológicas, cariotípicas e geográficas entre duas espécies pertencentes ao gênero Trinomys, correlacionando estas características. Sendo elas: Trinomys moojeni e Trinomys gratiosus. Para tal, foi realizada uma ampla busca bibliográfica enfatizando o maior conhecimento da família Echimyidae, do gênero e das espécies em questão, recorrendo a livros, artigos publicados e teses que abordam assuntos relacionados à morfologia, citogenética e distribuição do gênero Trinomys. Na parte morfológica, foram realizadas mensurações cranianas e do esqueleto pós-craniano, descrição da morfologia externa, a partir de exemplares do Museu Nacional (UFRJ). Para o estudo dos padrões de cariótipo, foram feitos bandeamentos cromossômicos a partir de amostras do Laboratório de Mastozoologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Na morfologia inter e intraespecífica, foram encontrados aspectos que diferem, como média do tamanho craniano, padrão do forâmen incisivo, contribuição do jugal e esquamosal no arco zigomático, espessura e cor da pelagem, tamanho e morfologia da cauda que variaram entre as duas espécies e também subespécies de T. gratiosus (T. gratiosus gratiosus e T. gratiosus bonafidei). O padrão da morfologia do báculo varia entre as espécies. Na estrutura cromossômica foi observado que em T. gratiosus, entre as subespécies T. g. gratiosus e T. g. bonafidei, não há a alteração do número diplóide e fundamental de cromossomos dos indivíduos, onde ambos possuem 2n=56, FN=108. Por outro lado, entre T. gratisous e T. moojeni (2n=56, FN=106) observamos alteração do número fundamental, resultando na perda de dois braços de cromossomos autossômicos. A distribuição geográfica destas espécies é bem delimitada. T. g. bonafidei é encontrado em florestas secas secundárias em Teresópolis, na região serrana do Rio de Janeiro em uma altitude de 850 metros, onde a média de temperatura e precipitação anual é em torno de 18,5°C e 1600 mm, respectivamente. T. g. gratiosus, é encontrado em florestas de mata atlântica costeiras do Espírito Santo (ES), no interior do sul de Minas Gerais (MG) e no Parque Nacional do Itatiaia no noroeste do Rio de Janeiro (RJ), em altitudes entre 500 e 850 metros. T. moojeni possui distribuição ainda mais limitada, presente, até o momento, somente na Serra do Cipó (MG), pertencente ao bioma cerrado. A vegetação da localidade conta com resquícios da mata atlântica, caracterizando uma vegetação transitória entre os dois biomas e a umidade local varia de acordo com as estações do ano, sendo o inverno o período mais seco. A espécie T. moojeni é encontrada em altitudes elevadas, em torno de 1200 metros acima do nível do mar.

Palavras-chave

Ratos-de-espinho, Serra do Cipó, Mata Atlântica.

Financiamento

PIBIC-UFRJ; CNPq (308505/2016-6).

Área

Evolução

Autores

Isabela Bernardes Freitas da Silva Domingues, Margaret Maria de Oliveira Corrêa, Leila Maria Pessôa