X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Levantamento de mamíferos não voadores em um fragmento de mata ciliar do oeste do Paraná

Resumo

Para a preservação e conservação dos fragmentos florestais é necessário o conhecimento de suas características, sendo os animais um dos maiores influenciadores para a ecologia local. Foi realizado o levantamento dos mamíferos não voadores em uma mata ciliar com 3,96 hectares, cercada por matriz agrícola, na Fazenda Experimental da Universidade Federal do Paraná - Setor Palotina que possui um total de 5,33 hectares. O objetivo foi, além de realizar o inventariamento, discutir a importância das espécies encontradas considerando alguns conceitos ecológicos. Foram utilizados dois métodos de amostragem indiretos: reconhecimento de vestígios e vídeos de armadilhas fotográficas; e um direto: visualizações diretas dos indivíduos durante caminhadas por três trilhas pré-definidas, principalmente durante a noite e sob lua nova ou minguante, dois dias por mês, de setembro a maio. Os vestígios encontrados foram: fuçadas e tocas em abundância, solo remexido e pisoteado por javaporco (Sus scrofa), solo barrento com conchas de Corbicula fluminea (Bivalve) abertas e solo remexido na encosta do rio. Os vídeos de câmera proporcionaram o registro de três espécies: Dasypus novemcictus (tatu-galinha), Nasua nasua (quati-de-cauda-anelada) e dois pequenos roedores (Myomorpha), considerados então como uma única espécie registrada. Por visualizações diretas foram registradas 10 espécies: um Didelphimorphia: gambá-de-orelha-branca (Didelphis albiventris); um Cingulata: tatu-galinha (D. novemcictus); um Lagomorpha: lebre europeia (Lepus europaeus); três Carnivora: cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), lontra (Lontra longicaudis) e cachorro doméstico (Canis lupus familiaris); e quatro Rodentia: ratão-do-banhado (Myocastor coypus), cutia (Dasyprocta azarae), ouriço-cacheiro (Coendou prehensilis), e um pequeno roedor Myomorpha (considerado mesma espécie registrada pela câmera). A riqueza total obtida pelos três métodos foi de 12 espécies. Não foram registradas espécies guarda-chuva, de grande porte, primatas, felídeos ou artiodáctilos nativos. Os registros fotográficos foram incipientes, as visualizações diretas foram significativas por conta do horário e intensidade lunar das coletas, os vestígios não eram diversos por conta da falta de sub-bosque denso e presença de animais que forrageiam frequentemente no solo da mata. O fragmento possui uma baixa heterogeneidade ambiental e uma alta similaridade florística, sendo então encontradas mais espécies de mamíferos não voadores onívoros, generalistas e oportunistas. O controle das espécies exóticas e invasoras, a redução dos impactos antrópicos, aliado a práticas de recuperação florestal e outros estudos tornam-se necessárias para conservação do fragmento.

Palavras-chave

Inventário; mamíferos não voadores; mata ciliar; Palotina.

Financiamento

Financiamento próprio.

Área

Inventário de Espécies

Autores

Dhandrea Vithoria Rodrigues Narok, Márcia Santos de Menezes