X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANÁLISE DA ACUIDADE OLFATIVA EM MARSUPIAIS: UMA REVISAO

Resumo

Marsupiais fazem parte de um grupo diversificado e possuem alta eficiência adaptativa aos mais variados habitats. Exercem importante influência em florestas tropicais, sendo dispersores de sementes, controladores de populações de insetos e de pequenos vertebrados. Por sua importância ecológica e interação com o ambiente, neste estudo buscou-se entender a sua percepção em relação aos estímulos químicos, investigando a acuidade olfativa de marsupiais por meio da análise da literatura. Para tanto, foi realizada uma extensiva revisão bibliográfica no Web of Science, utilizando uma combinação de palavras-chave, as mesmas em português e em inglês: “cheiro”, “comportamento”, “compostos orgânicos voláteis”, “dieta, “experimento”, “gambá”, “mamíferos”, “marsupial”, “nariz”, “odor”, “óleo essencial”, “olfato” e  “sensorial”. Um total de 818 artigos foram encontrados e, após análise pormenorizada e categorização, foram reduzidos à 60, assim excluindo trabalhos que falavam superficialmente sobre o olfato ou aqueles que não citam o grupo do estudo. Foram também retirados os trabalhos do gênero australiano Macropus Shawn, 1790 por seu grande porte e potencial diferença com as demais espécies, principalmente neotropicais. As ordens encontradas foram quatro: Dasyuromorphia, Didelphimorphia, Diprotodontia e Peramelemorphia, sendo Didelphimorphia a mais frequente (n=41). Entre as famílias, Didelphidae foi a com maior número de registros (n=38; 55,87%), seguindo de Phalangeridae (n=7; 10,3%). Um grupo foi formado por marsupiais em geral, sendo constituído de trabalhos que citam marsupiais, sem especificidade na família (n=9; 13,23%). Ao todo encontrou-se dados para 19 espécies, Monodelphis domestica Wagner, 1842 com o maior número de registros (n=25; 36,76%), principalmente por ser animal modelo para experimentos laboratoriais. Em relação à coleta de dados, foi possível categorizar da seguinte forma: experimentos (n=39; 65%), revisões bibliográficas (n=17; 28,33%), revisão combinada com experimentos (n=2; 3,33%) e observação de comportamento e análise de coleção científica com apenas um artigo cada (1,66%). Quanto aos temas trabalhados, o de destaque foi o de comportamento social (n=37; 61,67%), seguido por descrições morfológicas (n=8; 13,33%), comportamento alimentar (n=7; 11,67%), comportamento de defesa (n=4; 6,67%) e o restante com alguma combinação destes (n=4; 6,67%). O tema de comportamento social foi o mais representativo, com trabalhos buscando entender a percepção dos animais a partir dos odores ambientais, como estudos sobre interações coespecíficas. Percebe-se ainda que o olfato é um sentido essencial para relações sociais e estímulo dos processos reprodutivos, quando da indução de estro das fêmeas, a partir dos odores provenientes dos machos. Reconhecimento de pistas odoríferas para defesa também é encontrado, assim evitando a proximidade com possível predador, sendo uma ferramenta nas interações interespecíficas. Quanto ao forrageio, os trabalhos mostram a importância do olfato para a busca do recurso alimentar, como frutos e outros vertebrados; mas não evidenciam a descrição de como este processo ocorre, ou quais os compostos envolvidos na seleção.  Por fim, destaca-se que estudos de revisão, como este, ajudam a compor o panorama geral do tema, evidenciando a lacuna quanto ao entendimento da ecologia química em marsupiais, principalmente em relação à busca e seleção de recurso alimentar. Novas pesquisas devem ser realizadas para entender como o grupo se comporta frente a estímulos químicos.

 

Palavras-chave

Ecologia química, marsupial, olfato, revisão bilbiográfica.

Financiamento

Não possui. 

Área

Ecologia

Autores

Andressa Azevedo dos Santos, Gledson Vigiano Bianconi, Lays Cherobim Parolin