X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

STATUS GENETICO DE POPULAÇOES REMANESCENTES DE QUEIXADAS (TAYASSU PECARI) DA MATA ATLANTICA

Resumo

A fragmentação e a perda de habitats contribuem significativamente para a ocorrência de gargalos populacionais, o que pode resultar em impactos negativos para essas populações em longo prazo. Em termos genéticos, ocorre um aumento da perda ou fixação de alelos via deriva genética e de cruzamentos endogâmicos, levando à diminuição da variabilidade genética da população e ao aumento do risco de extinção. Nesse estudo, analisamos a estrutura populacional e o grau de diversidade genética e endogamia de queixadas (Tayassu pecari), espécie com importantes funções ecossistêmicas, em três áreas de Mata Atlântica no estado de São Paulo: Estação Ecológica de Caetetus (EEC), Parque Estadual da Serra do Mar - Núcleo Santa Virgínia (PESM) e Parque Estadual Ilha do Cardoso (PEIC). Foram analisadas 39 amostras de sangue, coletadas entre 2014 e 2018, e genotipadas para 13 locos de microssatélites. Foi utilizado um método Bayesiano para a inferência da estrutura genética populacional. Indicadores de diversidade genética (número de alelos (Na), riqueza alélica (Ra), heterozigosidades esperadas (He) e observadas (Ho)) e o coeficiente de endogamia FIS foram calculados para cada área e comparados entre as áreas. Todos os locos analisados foram polimórficos. O número de alelos médio e a riqueza alélica média foram, respectivamente: 2,75 e 1,96 na EEC; 2,92 e 2,19 no PESM; e 3,17 e 2,02 no PEIC. As médias das heterozigosidades esperada e observada foram, respectivamente: 0,42 e 0,40 na EEC; 0,52 e 0,64 no PESM; e 0,48 e 0,56 no PEIC. Esses indicadores de diversidade não diferiram significativamente entre as três áreas (Teste de Friedman, Na: χ2 = 3,93, p = 0,14; Ra: χ2 = 1,16, p = 0,55; He: χ2 = 0,89, p = 0,64; Ho: χ2 = 2,66, p = 0,26). Por meio de análise Bayesiana, observou-se uma estruturação populacional em três agrupamentos genéticos, que correspondem às três localidades geográficas. Não foram encontradas evidências significativas de endogamia para as três localidades analisadas (FIS = 0,13 para a EEC, -0,14 para PESM e -0,12 para o PEIC, p > 0,0014). A fragmentação de habitas na Mata Atlântica pode ter contribuído para a diminuição do fluxo gênico, levando à estruturação genética das populações de queixadas observadas. Um monitoramento genético das áreas em longo prazo se faz necessário para avaliar possíveis perdas de diversidade genética e suas consequências. A avaliação do status populacional genético das queixadas pode servir de base para a elaboração de ações conservacionistas, e assim, se evitar o declínio e a extinção dessa espécie vital para o bom funcionamento do ecossistema como um todo.

Palavras-chave

estrutura populacional, diversidade genética, fragmentação, microssatélites.

Financiamento

FAPESP – Processo 2015/20133-0

Área

Genética

Autores

Gabriela Schmaedecke, Anna Carolina Russo Curbelo Martin, Mozart Sávio Pires Baptista, Marcello Schiavo Nardi, Cibele Biondo