X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ENSAIO SOBRE A FUNÇAO ORIGINAL E HOMOLOGIA DOS OSSOS EPIPUBICOS EM MAMIFEROS BASAIS (CYNODONTIA)

Resumo

Dentre os mamíferos viventes, Monotremata e Marsupialia possuem ossos epipúbicos, que estão ausentes nos Eutheria. Esses ossos são pareados, articulados no púbis e projetados para frente na cintura pélvica. Desde a descrição desses ossos na literatura no século XVI, são feitas associações funcionais com a bolsa dos marsupiais, devido a posição relativa de ambas as estruturas. Entretanto, mais recentemente, esses ossos foram associados à locomoção e a respiração por meio de análises de eletromiografia de animais vivos e em movimento, além da conexão miológica desses ossos com as últimas costelas torácicas e flutuantes. Apesar do histórico morfológico-funcional dos ossos epipúbicos ser completamente baseado em mamíferos viventes, a presença desses ossos é registrada nos Cynodontia, grupo derivado dos Therapsida, que deu origem ao clado Mammalia. Os Cinodontes são Synapsidas não-mamíferos, ou seja, são caracterizados pela presença de uma única fenestra temporal craniana. Supõem-se que os Cinodontes colocavam ovos, não sendo conhecido nenhum registro que indicasse a presença de marsúpio neste táxon. Eles possuíam uma locomoção independente das cinturas escapulares e pélvicas, projetando o peso do corpo nos membros, de forma semelhante aos mamíferos viventes. Os Cinodontes podem ser divididos em basais ou derivados, de acordo com a presença ou ausência de costelas abdominais que se estendem até a cintura pélvica. Sendo assim, o presente trabalho tem como objetivo apresentar e discutir duas novas hipóteses sobre a origem dos ossos epipúbicos. A partir do levantamento bibliográfico e mapeamento de caracteres, foi possível verificar que a origem dos ossos epipúbicos ocorre muito próxima à perda das costela abdominais, o que, possivelmente, vai permitir uma maior eficiência da respiração, melhorando o funcionamento do diafragma. O registro mais antigo dos ossos epipúbicos é da família Tritylodontidae em diante, ocorrendo até os marsupiais recentes, e sendo ausente apenas nos Morganucodontídeos, táxon derivado dos Cinodontes. Isso pode vir a indicar duas hipóteses sobre a função original dos ossos epipúbicos: i) É possível que esses ossos tenham surgido para suportar o peso abdominal e executar movimentos respiratórios durante a locomoção, que eram feitos pelas últimas costelas abdominais, sendo análogo a estas estruturas. ii) Considerando as cinturas escapulares e pélvicas como estruturas homólogas seriais, os ossos epipúbicos seriam homólogos às clavículas por terem a mesma posição, compondo uma estrutura de conexão entre o púbis e as costelas abdominais da mesma forma que as clavículas conectam a escápula com o esterno e as costelas torácicas. Homologia de estruturas pode ser sugerida principalmente por posição e semelhança morfológica. Os ossos epipúbicos e as costelas possuem formatos parecidos, posições próximas e também uma conexão miológica. Em relação as clavículas, ao considerar as referências que sugerem que as cinturas escapulares e pélvicas são homólogas de forma serial, elas teriam a posição exata dos ossos epipúbicos. Sobre a morfologia, foi verificado dimorfismo sexual similar dos ossos epipúbicos e das clavículas, onde ambas as estruturas são mais curvadas nas fêmeas do que nos machos. Sendo assim, sugere-se que este osso possa ser análogo às costelas abdominais e/ou homólogo às clavículas dos Cinodontes.

Palavras-chave

anatomia; analogia; morfologia funcional; osso marsupial; 

Financiamento

Este trabalho foi financiado através de bolsa de mestrado para o primeiro autor pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), incluindo compra de utensílios pelo Programa de Pesquisa de Longa Duração (PELD).

Área

Evolução

Autores

Gabby Guilhon, Caryne Braga, Rui Cerqueira