X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

VARIAÇAO NA ABUNDANCIA DE STURNIRA LILIUM (CHIROPTERA: PHYLLOSTOMIDAE) EM RELAÇAO A DISPONIBILIDADE DE DIASPOROS ZOOCORICOS EM UM FRAGMENTO URBANO DE MATA ATLANTICA

Resumo

Diversas espécies de árvores em florestas produzem diásporos adaptados à dispersão zoocórica, processo que predomina também entre espécies arbustivas e pequenas árvores de sub-bosque. Dentre os animais que atuam na dispersão de sementes em florestas, destacam-se os morcegos da família Phyllostomidae, sendo representados por uma grande diversidade de espécies nestes ambientes e tendo sua abundância associada com a presença de plantas zoocóricas pioneiras. Neste contexto, o objetivo do presente trabalho foi verificar se a abundância da espécie do morcego frugívoro Sturnira lilium (Chiroptera: Phyllostomidae) é influenciada pela abundância de diferentes espécies de plantas zoocóricas, pela abundância da espécie pioneira Solanum mauritianum, e pela quantidade de diásporos zoocóricos em diferentes estágios de maturação. Os morcegos foram capturados entre os meses de novembro de 2017 a abril de 2018 por meio de redes de neblina dispostas em 18 pontos amostrais ao longo um fragmento urbano de Floresta Ombrófila Mista com cerca de 20 hectares, totalizando um esforço amostral total de 18.144 m2/h. Cada animal capturado foi acondicionado individualmente em sacos de pano para a coleta das fezes, sendo liberados ao final de cada noite no mesmo local de captura. Além disso, a disponibilidade de diásporos zoocóricos foi avaliada a partir de uma linha de 24 m de comprimento, estabelecida em cada ponto amostral a 5 m para a esquerda ou para a direita da linha da rede de neblina, dando preferência para a direção com maior densidade de vegetação. Foram amostrados todos os indivíduos arbóreos que estavam produzindo diásporos zoocóricos imaturos ou maduros, cujas copas se sobrepuseram à linha. Análises de regressão exponencial por permutação foram usadas para determinar a relação entre a abundância de S.lilium com o número de plantas zoocóricas e com a disponibilidade de diásporos imaturos e maduros destas plantas. Além disso, realizamos a mesma análise entre S. lilium e a planta S. mauritianum independentemente. Foram capturados 137 indivíduos de S. lilium. Em relação à disponibilidade de diásporos, treze espécies de plantas zoocóricas foram registradas na área de estudo. A abundância de S. lilium foi significativamente associada somente à abundância da espécie S. mauritianum e sua produção de diásporos imaturos (R2 = 0.36; F1,7 = 5.56; P = 0.05; R2 = 0.81; F1,7 = 36.24; P = 0.0005, respectivamente). Foram identificadas sementes de Ficus luschnatiana, Solanum atropurpureum, Morus sp., Solanum spp. e dois morfotipos não identificados nas amostras fecais da espécie. Das 2.407 sementes quantificadas, 84% pertenciam ao gênero Solanum. Nossos resultados destacam a importância de S. lilium como dispersor de plantas de Solanum, reforçando a importância das espécies no processo de restauração florestal, uma vez que essas plantas participam dos estágios iniciais da sucessão de florestas. Sugerimos que trabalhos futuros explorem essa relação e investiguem o potencial de germinação das sementes de frutos imaturos que passarem pelo trato digestivo de morcegos.

Palavras-chave

interação animal-planta, dieta, frugivoria, dispersão de sementes.

Financiamento

Capes e CNPq.

Área

Biologia da Conservação

Autores

Denyelle Hennayra Corá, Fernanda Weinmann Oliveira, Luan Marcos Valentini Lazzarotto, David Liposki Biassi, Ronei Baldissera, Adriano Dias Oliveira, Daniel Galiano