X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

POSSIVEL RELAÇAO ENTRE PATOGENOS ZOONOTICOS E O CONSUMO DE CARNE DE TATUS NO SUL DO ESTADO DO PIAUI

Resumo

Lucrecia Braz dos Santos (Universidade Estadual do Piauí), Liana Mara Mendes de Sena (Universidade Federal de Minas Gerais), Lilian Silva Catenacci (Universidade Federal do Piauí), Kelly da Trindade Oliveira (Universidade Federal do Vale do São Francisco), Joana Mayra de Oliveira Pires (Universidade Federal do Piauí)

E-mail: lucreciabiofauna@gmail.com

Os tatus têm sido associados a patógenos importantes para a saúde pública, atuando geralmente como hospedeiros e reservatórios, tais como Mycobacterium leprae, Trypanosoma cruzie Leishmania infantum. No bioma Caatinga, a caça é uma prática comum, e o tatu-verdadeiro é uma das espécies mais procuradas para o consumo. O presente estudo objetivou investigar casos de Hanseníase, Doença de Chagas e Leishmaniose e uma possível relação destas com o consumo de carne de tatu no entorno dos Parques Nacionais da Serra da Capivara (PNSCa) e da Serra das Confusões (PNSCo), ambos localizados na região sul do estado do Piauí. O PNSCa possui uma área de 130 mil hectares e abrange os municípios São Raimundo Nonato, Coronel José Dias, João Costa e Brejo do Piauí. O PNSCo possui 823.837 hectares e abrange os munícipios de Cristino Castro, Bom Jesus, Canto do Buriti, Jurema,  Alvorada, Caracol, Guaribas. Os dados de zoonoses foram obtidos por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e dados das Secretarias Municipais de Saúde das cidades do entorno dos Parques, disponíveis entre 2010-2018.  Os dados de caça foram obtidos através da análise de 382 autos de infração emitidos pelo ICMBio durante 2009-2017. No entorno do PNSCa foram notificados 120 casos de Hanseníase, 62 de Leishmaniose e 3 de Doença de Chagas. No entorno do PNSCo foram registrados 210 casos de Hanseníase e 4 de Leishmaniose. No mesmo período, foram registradas 1.122 espécimes abatidas, sendo 592 tatus (cerca de 85% sendo 544 de tatu-verdadeiro).  Os resultados sugerem uma alta prevalência de zoonoses nos entornos de áreas protegidas da Caatinga na região sul do Piauí ao mesmo tempo em que foi registrado um grande número de indivíduos de tatu-verdadeiro caçados. Diante da incidência da caça, eventualmente pode haver alguma relação entre o consumo de D. novemcinctus e agentes patogênicos que acometem seres humanos.   Visto que no Piauí houve um aumento de 2,76% nos casos de hanseníase de 2016 para 2017, no qual 67,5% foram notificados  em estágio transmissível. Novos estudos devem ser realizados a fim de compreender melhor essa rota de transmissão.  Os resultados deste trabalho servem de alerta para as autoridades de saúde e comunidades locais, alertando sobre a possibilidade das pessoas estarem contraindo zoonoses através do consumo da carne de tatu.   Financiamento: CNPq (Processo nº 421361/2017-4).

Palavras-chave

Palavras-chave: Serra da Capivara, Serra das Confusões, caatinga, caça, zoonose.

Financiamento

Financiamento: CNPq (Processo nº 421361/2017-4).

Área

Parasitologia/Epidemiologia

Autores

Lucrecia Braz Santos, Liana Mara Mendes Sena, Lilian Silva Catenacci, Kelly Trindade Oliveira , Mayra Oliveira Pires