X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DIFERENÇAS NA CONCENTRAÇAO DE VASOPRESSINA PLASMATICA EM MORCEGOS HEMATOFAGOS (DESMODUS ROTUNDUS) E FRUGIVOROS (ARTIBEUS LITURATUS)

Resumo

Dietas são conhecidas por induzir diferentes adaptações metabólicas em diversas ordens de mamíferos. O morcego vampiro comum (Desmodus rotundus) alimenta-se exclusivamente de sangue de mamíferos, preferencialmente bovinos (94% proteína), apresentando uma dieta hiperproteica (HP). Contrapondo a dieta HP ingerida pelo morcego vampiro, a espécie Artibeus lituratus apresenta como hábito alimentar predominante a frugivoria, consumindo frutos e infrutescências de uma grande variedade de espécies vegetais. Em termos metabólicos, esses morcegos possuem uma dieta rica em carboidratos (HC). As dietas HP podem causar efeitos adversos em processos envolvidos com a excreção de subprodutos do metabolismo energético, como hiperfiltração glomerular, e induzem adaptações morfológicas nos rins essenciais à exploração desta dieta. Em alguns casos os animais precisam lidar com alterações também no balanço hormonal. Estudos com mamíferos mostram evidências de que a vasopressina é um importante regulador endócrino, atuando na cascata de eventos que leva à hiperfiltração glomerular após uma refeição rica em proteínas. A vasopressina atua no sentido de aumentar a habilidade dos animais em concentrar urina, e consequentemente reabsorver água para o organismo. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi analisar a concentração de vasopressina plasmática em D. rotundus e A. lituratus, com ênfase nos mecanismos endócrinos desenvolvidos pela espécie hematófaga para lidar com a grande carga de proteínas ingerida sem que haja danos aos tecidos e células. Foram utilizados machos adultos (N=8 de cada espécie), coletados na Zona da Mata Mineira, que foram eutanasiados em laboratório e tiveram o sangue retirado, centrifugado a 4ºC por 10 min a 5000 rpm para a retirada do plasma. O material foi mantido a -80ºC e destinado à análise hormonal, realizada seguindo as especificações do Mouse Antidiuretic Hormone/Vasopressin/Arginine Vasopressin (ADH/VP/AVP) ELISA kit. Os dados foram submetidos a uma análise de regressão linear utilizando o Software GraphPad Prism 6.0. A concentração plasmática de vasopressina entre as espécies não apresentou diferenças significativas. Os resultados sugerem que ambas as espécies são bem adaptadas às dietas naturalmente ingeridas, sendo que os indivíduos de D. rotundus não necessitam reabsorver um grande volume de água, uma vez que o morcego vampiro possui uma rápida absorção de água pelo estômago e um fluxo copioso de urina isotônica imediatamente após a alimentação. Devido à rápida alteração osmótica no morcego hematófago em comparação com outros mamíferos incluindo morcegos de outras espécies, causada principalmente pela absorção de água já no estômago, esse animal provavelmente não necessita obrigatoriamente de altos níveis de vasopressina no sangue para lidar com os desafios impostos pela dieta rica em proteínas, utilizando de diferentes adaptações morfofisiológicas para concentrar a urina e reabsorver água.
 

Palavras-chave

dieta, ADH, hormônio, sangue

Financiamento

CAPES, CNPq, FAPEMIG

Área

Fisiologia

Autores

Bárbara Silva Linhares, Susana Puga Ribeiro, Renata Maria Freitas, Ana Luiza Fonseca Destro, Mariella Bontempo Freitas