X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

INFLUENCIA DA SAZONALIDADE NA ABUNDANCIA RELATIVA DE PEQUENOS MAMIFEROS NAO-VOADORES EM AREAS FLORESTADAS DO PANTANAL SUL MATO-GROSSENSE

Resumo

A região do Pantanal sul-mato-grossense é uma imensa planície sedimentar caracterizada por apresentar diferentes fitofisionomias. Considerando que o forte caráter sazonal da região pode ter influência direta na composição faunística, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a abundância relativa de pequenos mamíferos não-voadores em áreas florestadas do Pantanal sul-mato-grossense nos períodos de seca e cheia. Uma vez que o caráter temporal da região influencia diretamente flutuação populacional desses mamíferos.   O clima é marcado por duas estações distintas: estação chuvosa (outubro a março) e seca (abril a setembro). Os pequenos mamíferos (Rodentia e Marsupialia) foram capturados dentro das cordilheiras em seis campanhas realizadas de agosto de 2014 a fevereiro de 2019. Foram estabelecidos cinco transectos lineares compostos por 15 armadilhas Sherman® e 15 Tomahawk® alternadas ao nível do solo e do sub-bosque. As armadilhas foram iscadas com uma mistura de banana, creme de amendoim, aveia e sardinha, e permaneceram a campo por 10 noites, totalizando um esforço de captura total de 9.000 armadilhas/noite. A abundância relativa foi estimada através da divisão entre o número de indivíduos capturados de uma determinada espécie e o número total de capturas. Usamos a análise de correspondência (AC) para determinar associação entre pequenos mamíferos e período de captura. Os dados foram analisados através do programa R. Foram capturados 359 pequenos mamíferos pertencentes a seis espécies e quatro famílias em três campanhas realizadas no período da seca e três na estação chuvosa. A espécie mais abundante foi Thrichomys fosteri com 184 capturas (51%), seguido por Oecomys mamorae com 93 (26%), Monodelphis domestica com 32 (09%), Clyomys laticeps com 24 (07%), Thylamys macrurus com 15 (04%) e Gracilinanus agilis com 11 (03%). Por meio da AC observamos uma associação significativa entre os pequenos mamíferos e a estação, entre: O. mamorae e T. macrurus com a estação chuvosa; G. agilis com a estação seca; e T. fosteri, M. domestica e C. laticeps em ambas as estações. Estudos conduzidos em habitats marcadamente sazonais confirmaram que populações de pequenos mamíferos são influenciadas pela dinâmica sazonal. Ainda, a eficiência de captura desses animais está diretamente relacionada a diversos fatores, tais como: posição das armadilhas, iscas usadas e principalmente a disponibilidade de recursos alimentares no ambiente estudado. Dentre esses três fatores, a disponibilidade de alimento pode ter influenciado as capturas no presente trabalho, principalmente no período chuvoso, época do ano com maior quantidade de recursos alimentares, com uma grande quantidade de frutos em amadurecimento. Realmente, as flutuações populacionais de pequenos mamíferos são frequentemente influenciadas pelas variações temporais das variáveis ambientais podendo estar associadas diretamente com disponibilidade de recursos.

Palavras-chave

Ecologia, Marsupialia, Rodentia

Financiamento

CNPq Bolsa Produtividade Pq 308768/2017-5

CAPES Bolsa PNPD 20132885

Área

Ecologia

Autores

William Oliveira de Assis, Filipe Martins Santos, Wanessa Teixeira Gomes Barreto, Gabriel Carvalho de Macedo, Andreza Castro Rucco, Keyla Carstens Marques de Sousa, Renan Bressianini do Amaral, Grasiela Edith de Oliveira Porfirio, Heitor Miraglia Herrera