X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ESTUDO REPRODUTIVO DE FILOSTOMIDEOS FRUGIVOROS (CHIROPTERA- MAMMALIA) EM FRAGMENTOS DE MATA ATLANTICA, SUL DO BRASIL.

Resumo

As mudanças da sazonalidade ambiental podem resultar em períodos de escassez de alimentos, o que conduz, potencialmente, a uma variação do estado reprodutivo em animais da ordem Chiroptera. O presente estudo objetivou analisar o estado reprodutivo de morcegos filostomídeos frugívoros das espécies Artibeus lituratus, Carollia perspicillata e Sturnira lilium em fragmentos de Mata Atlântica no sul do Brasil e relacioná-lo às estações seca e chuvosa. As seguintes hipóteses foram testadas: (1) a estação chuvosa, por apresentar maior disponibilidade de alimentos, terá maiores valores de captura de fêmeas reprodutivas; (2) Artibeus lituratus, por ser dotada de grande capacidade adaptativa e plasticidade alimentar, apresentará fêmeas reprodutivas em ambas as estações. Para isso, os dados referentes ao sexo, estágio reprodutivo e período de amostragem foram extraídos de três estudos com 12 meses de duração, nas cidades de Porto Rico, Fênix e Cianorte, do Estado do Paraná, e os de temperatura e pluviosidade foram cedidos pelo Instituto Tecnológico SIMEPAR. Para o noroeste do estado do Paraná, considerou-se como estação seca os meses de abril a setembro, e chuvosa, de outubro a março. No cômputo total foram obtidas 1.052 capturas, 564 fêmeas e 488 machos, A. lituratus foi a espécie mais representativa (n=652). O maior número de capturas ocorreu n período chuvoso, com 589 indivíduos enquanto, no seco, foram amostrados 463. Observou-se que a abundância de machos e fêmeas reprodutivas foi maior durante a estação chuvosa, sendo que, no último grupo a diferença na quantidade de quirópteros foi mais evidente, totalizando 146 no período chuvoso e 28 no seco. Já as fêmeas não reprodutivas tiveram maior número de captura durante a estação seca (n=218), diferindo consideravelmente da chuvosa (n=161). Observou-se, assim, uma tendência reprodutiva das espécies estudadas no período chuvoso, porém, A. lituratus apresentou fêmeas reprodutivas em todos os meses, no entanto, com número reduzido no período seco. A primeira hipótese foi confirmada e pode ser explicada devido à estação chuvosa apresentar condições ambientais favoráveis, temperatura e umidade elevadas, para o evento da reprodução e por ser, também, o período de frutificação. A distribuição e a disponibilidade de recursos alimentares podem influenciar o padrão reprodutivo dos quirópteros, principalmente em áreas fragmentadas. Artibeus lituratus teve o maior número de indivíduos capturados e apresentou fêmeas reprodutivas em todos os meses do ano, confirmando a segunda hipótese o que é explicado devido essa espécie ser abundante em áreas alteradas e se alimentar de ampla variedade de frutos, além de insetos, pólen, néctar e da parte líquida de folhas. Espécies altamente adaptáveis podem ocupar diferentes nichos ecológicos em detrimento de espécies mais sensíveis e tornarem-se dominantes. Pode-se concluir que a estação chuvosa, por apresentar maiores temperaturas, pluviosidade e oferta de alimentos, pode favorecer a sobrevivência dos filhotes, visto que esses morcegos são preferencialmente frugívoros e o período de frutificação das árvores corresponde, normalmente, à combinação dos fatores abióticos avaliados.

Palavras-chave

Estação seca. Estação chuvosa. Mata Atlântica. Morcego. Reprodução.

Financiamento

Este trabalho recebeu apoio da Fundação CAPES.

Área

Ecologia

Autores

Thais Martinez Rodrigues Jorge, Henrique Ortêncio-Filho, Gledson Vigiano Bianconi , Rosa Maria Dias