X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

MASTOFAUNA TERRESTRE DE MÉDIO E GRANDE PORTE EM AMBIENTE DE MATA ATLÂNTICA NO SUL DE SANTA CATARINA

Resumo

No Brasil, nove ordens e 229 espécies de mamíferos de médio e grande porte são registrados, os quais prestam importantes serviços ecológicos. Dentre os estados que compõem a Região Sul do Brasil, observa-se uma fauna de mamíferos extremamente diversificada, inclusive com a presença de inúmeras espécies incluídas como ameaçadas de extinção. O presente estudo teve como objetivo analisar a composição da assembleia de mamíferos terrestres de médio e grande porte, em um ambiente de Mata Atlântica na Região Sul de Santa Catarina. As amostragens foram realizadas no município de Treviso (28º29’23”S e 49º31’12”O), em remanescente de Floresta Ombrófila Densa, inserido na zona de amortecimento da Reserva Biológica Estadual do Aguaí. Para o registro das espécies foram instaladas 18 câmeras-trap, as quais permaneceram em funcionamento por 275 dias consecutivos. As câmeras foram revisadas em intervalos médios de 30 dias. A composição da assembleia foi descrita com base em atributos de riqueza e frequência. No cálculo de frequência, foram considerados como registros distintos, aqueles com intervalos acima de 30 minutos. Para imagens com mais de um indivíduo, cada um deles foi considerado como um registro de ocorrência. O status de conservação das espécies foi avaliado em âmbito global pelos critérios da IUCN, nacional através dos critérios adotados pelo Ministério do Meio Ambiente e estadual, pelos critérios da lista de espécies ameaçada de extinção de Santa Catarina.  Com um esforço de 118.800 câmeras/hora, foram obtidos 1.643 registros, de 10 famílias e 17 taxa sendo estes: Cerdocyon thous (n=607); Dasypus novemcinctus (n=263); Cuniculus paca (n=199); Procyon cancrivorus (n =180); Eira barbara (n=139); Leopardus wiedii (n=49); Puma concolor  (n=34); Leopardus guttulus (n=30); Nasua nasua (n=20); Leopardus pardalis (n=15); Didelphis aurita (n=13); Didelphis albiventris (n=9); Cabassous tatouay (n= 8); Sapajus nigritus (n= 3); Hydrochoerus hydrochaeris (n=2); Dasyprocta azarae (n=1) e; Mazama sp. (n=1). Sua riqueza registrada representa 35% dos mamíferos listados no estado de Santa Catarina, 59% da mastofauna do sul de Santa Catarina e 71% da mastofauna de médio e grande porte registrada no município de Treviso. Cerdocyon thous foi à espécie mais frequente o que pode estar relacionado ao fato de sendo um predador generalista e alta plasticidade ecológica. Dasypus novemcinctus também corresponde a uma espécie generalista, ocorrente desde ambientes preservados, até aqueles alterados. Das 17 espécies registradas, C. paca e P. concolor estão ameaçadas em nível estadual e P. concolor, L. wiedii e L. guttulus em nível nacional. Estas espécies tendem a apresentar populações reduzidas e a ocorrência destas espécies em unidades de conservação pode ser um bom indício para a preservação destes taxa. Para mamíferos de grande porte, como exemplo P. concolor há ainda a necessidade de contínuos florestais, uma vez que é uma espécie que possui grande área de vida. Estes estudos são importantes para conhecer o panorama das espécies de mamíferos de médio e grande porte ocorrentes no sul de Santa Catarina, possibilitando a criação de estratégias de conservação e estudos com abordagens mais aprofundados.

Palavras-chave

biodiversidade, inventário, câmera-traps, Reserva Estadual do Aguaí.

Financiamento

Fundação de amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina - Edital 06/2016 - Termo de outorga 2017TR1706

Área

Inventário de Espécies

Autores

ISADORA HOBOLD DAL MAGRO, BEATRIZ FERNANDES LIMA LUCIANO, KAROLAINE PORTO SUPI, LUANA DA SILVA BIZ, FERNANDO CARVALHO