X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

AVALIAÇAO DA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DO EXTRATO DE FICUS CARICA CONTRA O ESTRESSE OXIDATIVO CAUSADO POR FUNGICIDA TRIAZOL EM MUSCULO DE MORCEGOS FRUGIVOROS

Resumo

Morcegos são mamíferos silvestres, que durante o forrageio podem entrar em contato com diversos pesticidas. Em plantações de frutas, o fungicida Tebuconazole (TBZ) é bastante utilizado contra fungos patogênicos. Estudos relatam que o fungicida pode causar toxicidade, danos oxidativos e desequilíbrio endócrino. A fim de amenizar danos causados por xenobióticos, pesquisas com compostos naturais e antioxidantes estão sendo frequentemente realizadas. Neste estudo, foi utilizado um extrato etanólico do galho da figueira (Ficus carica), planta conhecida pelo seu potencial antioxidante. O objetivo do nosso estudo foi avaliar o efeito protetor do extrato etanólico de Ficus carica contra a toxicidade do TBZ em morcegos frugívoros (Artibeus lituratus), a fim de estudar formulações de pesticidas que sejam menos prejudiciais a organismos não-alvo. Para isso, os morcegos foram divididos em 4 grupos: CT (n=6) receberam mamão puro; TBZ (n=6) receberam mamão tratado com calda de Folicur (nome comercial) (1 mL folicur/1000 mL de água); TBZFC (n=7) receberam mamão tratado com calda do fungicida e extrato etanólico de Ficus carica (20 mg do extrato/100 mL dimetilsulfóxido (DMSO) 1,25%) e DMSO (n=6) receberam mamão tratado com calda de DMSO 1,25%. Após sete dias de tratamento, os morcegos foram eutanasiados e o músculo peitoral foi utilizado para análises de capacidade antioxidante, a atividade das enzimas superóxido dismutase (SOD), catalase (CAT), glutationa s-transferase (GST) foi avaliada, bem como os níveis de óxido nítrico, proteína carbonilada e peroxidação lipídica (MDA). A atividade das enzimas SOD e CAT Foram maiores nos grupos TBZ e TBZFC em relação aos demais tratamentos, e não foi observado diferenças entre os grupos da atividade de GST. Os níveis de MDA também foram maiores nos grupos TBZ e TBZFC em relação aos outros, já os níveis de óxido nítrico e proteína carbonilada não apresentaram diferença entre os grupos. Nossos resultados indicam que o fungicida tebuconazole causa estresse oxidativo no músculo, comprovado pelo aumento da peroxidação lipídica no grupo tratado, e que o extrato da planta não exerce efeito protetor nesse tecido, já que os níveis de MDA não diferiram do grupo TBZ. Além disso, o sistema de defesa antioxidante foi ativado, e as enzimas SOD e CAT atuaram na eliminação e atenuação dos danos, aumentando sua atividade nos grupos TBZ e TBZFC, protegendo, assim, o músculo de maiores danos que poderiam prejudicar o voo dos animais. É necessário novos estudos para determinar qual dose do extrato da planta seria capaz de proteger o músculo contra os efeitos tóxicos do fungicida.

Palavras-chave

Chiroptera 

Artibeus lituratus

Tebuconazole

Extrato de planta 

Financiamento

Fapemig

CAPES

CNPq

Área

Fisiologia

Autores

Renata Maria Freitas, Bárbara Silva Linhares, Stella Bicalho Silva, Kemilli Pio Gregório, Jerusa Maria Oliveira, João Paulo Viana Leite, Mariella Bontempo Freitas