X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

OLFATO EM ROEDORES: UMA REVISAO BIBLIOGRAFICA

Resumo

Mamíferos representam um grupo importante quando se fala na percepção do ambiente e um sentido que se destaca nesse contexto é olfato, havendo inferências na literatura sobre sua acuidade olfativa. A ordem Rodentia é mais diversificada desta classe, porém ainda não há uma compilação sobre os aspectos olfativos do grupo. O presente estudo teve como objetivo realizar uma extensa revisão bibliográfica buscando trabalhos que abordassem como os roedores utilizam o olfato. A revisão foi realizada utilizando o serviço de indexação Web of Science, buscando diversas combinações das seguintes palavras-chave: “chemical”, “essential oil”, “mammal”, “olfaction”, “olfactory”, “perception”, “rodents”, “sensory”, “smell” e “vomeronasal". Os estudos que não contemplavam roedores e sua percepção olfativa foram excluídos e os dados sobre roedores utilizados em laboratório foram mantidos pela possibilidade de incrementar as informações sobre o olfato no grupo. A partir dos resultados foi alimentada uma planilha com as seguintes entradas: i. espécie de roedor estudada; ii. se e como utilizam o olfato em diferentes situações, como no forrageio, reprodução e comportamento social; e iii. método utilizado no estudo. Foram analisados 867 artigos e destes 242 abordaram o tema, sendo a maioria sobre o olfato em animais de laboratório (n=174) e o restante sobre espécies de roedores silvestres em vida livre (n=58) e roedores em geral (n=10). As espécies silvestres mais estudadas nos artigos analisados foram Cryptomys hottentotusMicrotus ochrogaster e M. arvalis com apenas três registros cada. Sobre os métodos utilizados para testar o olfato em roedores, o mais recorrente foi em gaiolas em condições laboratoriais (n=171), seguido por testes em arenas comportamentais (n=15) e labirintos em “Y” (n=12). Com base nos artigos avaliados, é possível observar uma maior incidência de estudos analisando a importância do olfato no comportamento social de roedores (n=87), especificamente em sua reprodução (n=36), além de estudos focando na interação mãe-filhote (n=24), predadores-presa (n=13), bem como em atividades de forrageio (n=13). Dados sobre alguns grupos revelam importância da sinalização olfatória é indicada pela frequência em que as espécies se cheiram e assim conseguem se comunicar intra e interespecificamente. O odor urinário modula comportamentos sociais e pode mediar mudanças sociais em ratos de laboratório, além de possuir influência nos comportamentos de dominância e agressividade em ratos machos. As publicações ainda falam sobre a abordagem inicial para a seleção sexual, em que esta é induzida pela combinação de pelo menos dois sentidos, sendo o olfato indispensável. Dados como os compilados neste estudo mostram a necessidade de ampliar as pesquisas com espécies silvestres, a fim de conhecer melhor sua ecologia sensorial. Diferentes análises, como a utilização de arenas comportamentais e labirintos em “Y”, poderiam evidenciar como esses grupos encontram e selecionam seu recurso alimentar. Novos estudos sobre a utilização do olfato na ordem Rodentia podem gerar importantes informações sobre  como espécies de roedores percebem o seu ambiente natural e como o olfato é utilizado neste processo. 

Palavras-chave

Rodentia, roedores neotropicais, percepção química, comportamento social

Financiamento

Não se aplica.

Área

Ecologia

Autores

Maria Luiza Gandara, Gledson Vigiano Bianconi, Lays Cherobim Parolin