X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PARASITAS DE MOLOSSUS MOLOSSUS CAPTURADOS EM AREA DE ECOTURISMO DO PANTANAL BRASILEIRO

Resumo

Morcegos são mamíferos pertencentes à ordem Chiroptera, composta por cerca de 1.100 espécies. Desempenham importantes papéis no ecossistema, como controle biológico, polinização e predação. Considerando características únicas desse grupo de vertebrados, como a facilidade na dispersão e transmissão de parasitas decorrente de sua habilidade de voo, o comportamento social complexo e as diferentes possibilidades de habitação em que podem ser encontrados, a compreensão da biologia e ecologia dos morcegos é importante para a saúde pública. Dentre as espécies insetívoras, Molossus molossus destaca-se por sua distribuição nos cinco Biomas brasileiros. Apesar disto, são escassos os estudos acerca de parasitas desta espécie. Dessa forma, este trabalho teve por objetivo identificar e descrever espécies parasitas de Molossus molossus capturados na região do Passo do Lontra, no Pantanal Brasileiro, e descrever os indicadores de infecção parasitária. Foram capturados 14 espécimes de M. molossus através de redes de neblina armadas rente ao solo e próximas ao dossel, na borda da mata. Uma vez capturados, os morcegos foram eutanasiados em câmara fechada com atmosfera saturada de isofluorano, acondicionados em embalagens individuais e congelados. Posteriormente, foram transportados ao Laboratório de Enfermidades Parasitárias (LabEPar) do Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Reprodução Animal da Unesp/FCAV - Jaboticabal, onde realizou-se pesagem, biometria, identificação do sexo e necropsia parasitológica. Foram avaliados coração, pulmões, fígado, baço e trato gastrintestinal, cujo conteúdo foi inspecionado por meio de tamis com malha metálica. O conteúdo coletado dos órgãos foi acondicionado em coletores universais contendo álcool 70° e visualizado em microscópio estereoscópio. Os parasitas encontrados foram acondicionados em frascos de penicilina contendo álcool absoluto ou álcool 70°. Foram montadas lâminas temporárias com ácido acético para visualização e identificação dos parasitas em microscópio óptico. A identificação das espécies foi realizada conforme literatura. Dos animais coletados, 78,57% (11/14) encontravam-se parasitados por uma ou mais espécies de parasitas. Foram coletados ao todo 3733 parasitas. A abundância parasitária média foi de 266,6 e a intensidade média foi de 339,36, variando de 1 a 2107 parasitas por hospedeiro. A correlação estatística entre as variáveis quantidade de parasitas e sexo do animal não foi significativa pelo teste Qui-quadrado, assim como entre as variáveis quantidade de parasitas e comprimento do corpo e do antebraço pelo teste T. Os parasitas encontrados pertencem aos Phylos Plathelmynthes e Nemathelmynthes, Classes Nematoda e Cestoda e Sub-classe Digenea. Foram identificadas uma ordem (Spirurida), cinco famílias (Anenterotrematidae, Hymenolepididae, Physalopteridae, Ascarididae e Acuariidae), 2 gêneros (Physaloptera sp. e Acuaria sp.) e 2 espécies (Anenterotrema eduardocaballeroi e Seuratum cancellatum) de parasitas. Este trabalho contém a primeira descrição de parasitismo por parasitas do gênero Acuaria sp. em morcegos, assim como a primeira descrição de parasitismo por Seuratum cancellatum no Brasil. A pesquisa acerca das comunidades parasitas de quirópteros faz-se necessária como forma de entendimento das relações parasita-hospedeiro nos animais selvagens e como forma de conservação de espécies, proporcionando base científica para demais estudos na área.

Palavras-chave

Chiroptera, Pantanal brasileiro, relação parasita-hospedeiro, biodiversidade. 

Financiamento

Processo n° 2018/04138-0, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). 

Área

Parasitologia/Epidemiologia

Autores

Giovanna Fernandes Esteves, Guilherme de Brito Viana, Felippe Vidal Sampaio, Estevam Guilherme Lux Hoppe