X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

STATUS TAXONOMICO DE JULIOMYS ANOBLEPAS (RODENTIA: SIGMODONTINAE) DO QUATERNARIO DE LAGOA SANTA

Resumo

A região de Lagoa Santa, Minas Gerais, é uma das principais áreas cársticas do Quaternário brasileiro devido a sua diversidade faunística de formas viventes e extintas. Dentre estas, estão 25 espécies de roedores da subfamília Sigmodontinae, um dos táxons mais diversos dentre os mamíferos neotropicais. Atualmente, a taxonomia do grupo vem sendo revisada com muitas das formas renomeadas e/ou reconhecidas como viventes. Entretanto, alguns táxons ainda permanecem pobremente estudados, como é o caso de Calomys anoblepas Winge. Originalmente, este taxon foi considerado proximamente relacionado a Calomys longicaudatus (= Oligoryzomys nigripes) e, posteriormente, sugerida como Oryzomys e Oecomys. Apenas recentemente, foi proposta a alocação de C. anoblepas no gênero Juliomys, constituindo a combinação nomenclatural J. anoblepas. Apesar dos recentes estudos taxonômicos e morfológicos em Juliomys, a distinção entre as espécies tem sido baseada principalmente em cariótipos e diferenças moleculares. Além disso, as descrições e análises morfológicas são condensadas e baseadas em poucos espécimes ou apresentam dados contrastantes e caracteres poucos informativos, os quais geram inconsistências na literatura. Diante disso, o objetivo do presente trabalho é investigar os caracteres propostos para distinguir as espécies de Juliomys e avaliar o status taxonômico de Juliomys anoblepas. O material analisado consiste em espécimes, representados pelas quatro espécies reconhecidas atualmente: J. pictipes, J. rimofrons, J. ossitenuis e J. ximenezi. No total foram examinados 298 espécimes depositados nas coleções mastozoológicas. Espécimes tipo foram analisados e comparados com os demais exemplares da amostra. Foram avaliados caracteres presentes na literatura do gênero e/ou características já descritas. Dessa forma, foi possível observar que o holótipo e único espécime conhecido do fóssil originalmente descrito como C. anoblepas realmente é um membro de Juliomys. Entretanto, sua identificação específica é dificultada pela condição fragmentada do material. A revisão dos sistemas morfológicos de Juliomys e a avaliação dos caracteres usados na literatura revelaram que não existem caracteres taxonômicos na porção anterior do crânio e na série molar superior, sendo difícil diferenciar o fóssil das demais espécies. Os caracteres apresentados na literatura se mostraram polimórficos, invariáveis, ou o hipodigma de C. anoblepas não é suficientemente completo para determinar seus estados. Diante disso, três possibilidades taxonômicas podem ser aplicadas a J. anoblepas: 1) sinonimizar com alguma espécie vivente, o que resultaria em associar uma série de características disponíveis para estas que não poderiam ser recuperadas para J. anoblepas (que é o nome que possui prioridade); 2) manter a atual combinação nomenclatural, o que significa considerar J. anoblepas como uma espécie válida e, consequentemente, ter evidências que suportem isso; 3) considerar como um nome de aplicação incerta ou nomen dubium, termo aplicado pelo Código Intrenacional de Nomenclatura Zoológica (artigo 75.5) quando a evidência disponível para o tipo que carrega um nome é insuficiente para permitir o reconhecimento da espécie para o qual é aplicado. Sem material fóssil adicional que possa fornecer informação morfológica para complementar e esclarecer a sua verdadeira identidade taxonômica, nós propomos J. anoblepas como um nomen dubium e restringimos seu nome ao hipódigma do táxon. 

Palavras-chave

Taxonomia, espécies, variação

Financiamento

CAPES

Área

Sistemática e Taxonomia

Autores

CAROLINA PIRES PIRES, MARCELO WEKSLER WEKSLER, CIBELE BONVICINO BONVICINO