X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

“CARPE NOCTEM” CHUVA DE SEMENTES DISPERSAS POR MORCEGOS (MAMMALIA, CHIROPTERA) EM UM FRAGMENTO DO MUNICIPIO DE ALTAMIRA - PA

Resumo

A dispersão de sementes é um serviço ecossistêmico importante para a manutenção das florestas, agindo na diversificação das espécies florestais e na recuperação de áreas degradadas. Dentre os animais frugívoros observamos os mamíferos e as aves, que consomem mais de 75% das espécies frutíferas tropicais, como os principais dispersores. Na floresta amazônica os morcegos da família Phyllostomidae são os mais abundantes sendo as espécies frugívoras as principais dispersoras de sementes, incluindo sementes de espécies pioneiras que ajudam na recuperação de áreas degradadas e remanescentes florestais. Assim, objetivou-se nesse trabalho  criar uma lista de espécies de sementes e relacionar com os morcegos dispersores que ocorrem em remanescentes de floresta amazônica na região de Altamira - PA. O município de Altamira está localizado no arco de desmatamento às margens da BR 230, a Rodovia Transamazônica, com 159.701 km² de área geográfica. A amostragem de morcegos foi realizada de agosto de 2018 a janeiro de 2019 em três pontos da região de Altamira. Foram utilizadas oito redes de neblina, abertas ao por do sol e permanecendo assim por seis horas. Os morcegos capturados foram acondicionados em sacos de algodão e triados ainda em campo. Todos os morcegos foram identificados até o nível de espécie e anilhados com coleiras numeradas. Após a triagem dos morcegos os sacos de algodão eram verificados e as sementes acondicionadas em sacos de papel identificados. Em laboratório as sementes foram lavadas e identificadas até o menor nível taxonômico possível. Considerando 18 noites de coleta totais, três noites por mês, foram capturados 81 morcegos frugívoros de seis espécies da família Phyllostomidae. As espécies mais frequentes foram Carollia perspicillata e Artibeus fimbriatus, 62,96% (n = 51) e 17,28% (n = 14) das capturas, respectivamente. Foram coletadas 8.187 sementes de 21 morfotipos distintos, e cinco famílias: Piperaceae, Solanaceae, Hypericaceae, Urticaceae e Cyclanthaceae, representadas pelos gêneros Piper, Solanum, Vismia, Cecropia, e Asplundia, respectivamente. Os morcegos que apresentaram maior dispersão de número de espécies de sementes foram C. perspicillata, oito morfotipos, A. fimbriatus, com seis morfotipos e Artibeus obscurus, com cinco morfotipos e Sturnira lilium três morfotipos. Os frugívoros são atraídos, principalmente pelas características dos frutos (espessura do mesocarpo, odor e estagio de maturação). Especificamente para espécies com síndrome de dispersão Chiropterocorica, observamos características como odor e coloração conspícua, aumentando a chance de ser predada pelos morcegos. Exemplos dessas características podem ser observados em alguns gêneros da família Piperaceae, dispersas por C. perspicillata e em espécie de Solanaceae dispersa por S. lilium. Este resultado evidencia espécies de morcegos frugivoros, como o C. perspicillata, S. lilium. e A. fimbriatus como potenciais dispersores de sementes pioneiras, corroborando assim com a literatura.

Palavras-chave

Palavras Chaves: Frugivoria, Phyllostomidae, Piperaceae, Espécies Pioneiras.

Financiamento

Área

Ecologia

Autores

Ayla Yanne Gomes Pinheiro, Jennifer Bandeira da Silva, Keila Patricia Alves da Silva, Alana de Moura Santos, Iluany da Silva Costa, Thiago Bernardi Vieira