X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PRIMEIRO REGISTRO DE ONÇA-PARDA (PUMA CONCOLOR) NA RESERVA BIOLOGICA DO CORREGO DO VEADO, NORTE DO ESPIRITO SANTO, BRASIL

Resumo

A onça-parda (Puma concolor) é o mamífero terrestre com a maior distribuição geográfica na região Neotropical e, no Brasil, está presente em todos os biomas. Porém, mesmo apresentando ampla distribuição, é tida como uma espécie pouco comum ou rara em algumas regiões. Além disso, por ser um carnívoro solitário e com padrão de atividade noturno ou crepuscular, é difícil de ser registrada. Na Mata Atlântica, a onça-parda é categorizada como Vulnerável e, no estado do Espírito Santo, como Em Perigo, de acordo com as respectivas listas de espécies ameaçadas de extinção. No Espírito Santo, a espécie já foi registrada em pelo menos seis unidades de conservação de proteção integral, mas não havia sido registrada na Reserva Biológica do Córrego do Veado (RBCV). A RBCV está localizada na região noroeste do Espírito Santo, no município de Pinheiros, e possui uma área de 2.357 ha, com fitofisionomia floresta pluvial semi-decídua predominante. Seu entorno é caracterizado por intensa antropização, dominado por atividades pastoris e cultivos agrícolas. Dessa forma, este trabalho apresenta o registro de uma nova localidade de ocorrência para a onça-parda no Espírito Santo, Brasil. O registro foi realizado durante o monitoramento de armadilhas iscadas (mandioca e sal) para a coleta de pelos de queixadas (Tayassu pecari). A amostragem ocorreu de 12 de março a 14 de abril de 2019, com cinco armadilhas fotográficas (AF) (marca Bushnell - modelo 119636c). Especificamente, no dia 7 de abril de 2019, um indivíduo de onça-parda foi registrado na AF, próximo ao córrego São Roque (-40.15122, -18.41316). Além de não haver registro, na literatura, dessa espécie na RBCV, ela não consta no plano de manejo da unidade. Um dos funcionários, que trabalhou na unidade por 30 anos, não relatou a presença desse felino. A localidade mais próxima com o registro da onça-parda está a aproximadamente 30 km, na Floresta Nacional do Rio Preto, indicando o possível uso da paisagem por esse felino no norte do estado. Sendo assim,  este fato enfatiza a importância da RBCV na proteção de grandes mamíferos como a onça-parda, a anta (Tapirus terrestris) e a queixada, todos ameaçados de extinção, mesmo com o isolamento da reserva na paisagem.  A região encontra-se extremamente fragmentada e precisa de medidas mitigadoras, tais como a implantação de corredores de conectividade, considerando especialmente a alta mobilidade da onça-parda na paisagem.

Palavras-chave

Mata de Tabuleiro; Suçuarana; Unidade de Conservação; Armadilha fotográfica.  

Financiamento

À CAPES pela bolsa de doutorado, ao ICMBio pela licença concedida e à Reserva Biológica Córrego do Veado pela disponibilidade e infraestrutura cedida. Além disso, ao Pró-Tapir e ao LaMaB/UFES pela infraestrutura e realização das atividades de campo.

Área

Inventário de Espécies

Autores

Joana ZORZAL Zorzal, Andressa Gatti, Yuri Luiz Reis Leite