X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

MORCEGOS ASSOCIADOS AS LAGOAS DO PARQUE ESTADUAL PAULO CESAR VINHA, ESPIRITO SANTO, BRASIL

Resumo

Restingas são ecossistemas costeiros associados à Mata Atlântica e estão ameaçadas devido às intensas intervenções antrópicas. Muitas restingas possuem lagoas costeiras circundadas por zonas ribeirinhas que conecta ambientes terrestres e aquáticos, portanto, confere características como, grande biodiversidade e acúmulo de matéria orgânica.  A produtividade local está relacionada com o teor de matéria orgânica e estimula a formação de manchas de vegetação que servem de fonte de alimento e abrigo para os animais, incluindo os morcegos. A estrutura e composição das comunidades de morcegos pode então ser moldada pela vegetação ripária, podendo ser em função de diferentes fatores, tais como a estrutura e composição da vegetação, a conectividade com a vegetação contínua e o status de degradação. Este estudo teve como objetivo avaliar a composição de comunidades de quirópteros nas lagoas costeiras do Parque Estadual Paulo Cesar Vinha - PEPCV, Espírito Santo, Brasil, comparando a riqueza e a composição entre as lagoas. O Parque Estadual Paulo Cesar Vinha (PEPCV) foi criado pelo Decreto Estadual nº 2993/90, fica no município de Guarapari, litoral sul do Espírito Santo. Possui clima tropical com verões úmidos e invernos secos (Aw), a temperatura média anual é de 23,3°C e a precipitação anual média é de 1.307mm. Possui 12km de praias com várias formações de restingas e três lagoas: (i) Caraí, próximo e apresenta períodos de conexão com oceano, além de uma vegetação mais densa; (ii) Feia e (iii) Vermelha, separadas por uma faixa de areia com cerca de 2km, não conectadas com o oceano e com vegetação menos densa. A amostragem dos morcegos foi realizada em 39 noites com trabalho de campo, duas vezes por mês, em dois locais consecutivos, de setembro de 2006 a agosto de 2007, utilizando 10 redes de neblina por noite, armadas ao redor das três lagoas do PEPCV. As redes permaneceram abertas por seis horas após o pôr do sol e foram checadas a cada 30 minutos. Para comparar a composição de quirópteras entre as três lagoas PEPCV realizamos uma análise de componentes principais - PCA, uma Permidisp e uma Permanova. Doze espécies de morcegos foram capturadas no PEPCV, sendo 426 capturas e 22 recapturas, 98.8% Phyllostomidae. A PCA apresentou 36% e 20% de explicação no primeiro e segundo eixo, respectivamente. Myotis nigricans e Glossophaga soricina apresentaram preferência pela lagoa Caraí, sendo a abundância de Artibeus lituratus e Platyrrhinus lineatus maior na lagoa Vermelha. Apesar desse padrão não encontramos suporte para a diferença média (PERMANOVA *F (37,2) = 0,852; p = 0,659), nem em variação (Permdisp *F(37,2) = 0,648; p = 0,529) da composição de morcegos entre as lagoas. Aqui, observamos que as três lagoas apresentam composição semelhante de morcegos. No entanto, a lagoa Caraí possui espécies que estão relacionadas com Bombacacia sp. (M. nigricans e G. soricina). Por outro lado, a lagoa Vermelha mostra espécies que se correlacionam com áreas perturbadas (A. lituratus). Estes resultados podem ser usados para direcionar esforços de conservação ou guiar novas pesquisas no PEPCV e em restingas ou habitats associados.

Palavras-chave

Zona Costeira, Chiroptera, Espirito Santo, Degradação 

Financiamento

Área

Ecologia

Autores

Alana de Moura Santos, Monik Oprea, Poliana Mendes, Vinícius T. Pimenta, Albert David Ditchfield, Thiago Bernardi Vieira