X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANALISE DE EGRAGOPILOS DE TYTO FURCATA (TEMMINCK, 1827) PARA INVENTARIO DE PEQUENOS MAMIFEROS NAO-VOADORES NOS DOMINIOS MORFOCLIMATICOS DO CERRADO E MATA ATLANTICA

Resumo

A identificação de pequenos mamíferos em egagrópilos de corujas é uma importante ferramenta de complementação às metodologias de estudos mastozoológicos. A coruja Tyto furcata (Temminck, 1827) têm sido especialmente estudadas nesse aspecto por apresentar ampla distribuição e grande adaptação a ambientes urbanos e fragmentos florestais abertos e/ou antropizados. A Mata Atlântica e o Cerrado, dois domínios morfoclimáticos com grande biodiversidade, grau de endemismo e também uns dos mais ameaçados do planeta, possuem fitofisionomias totalmente distintas, tendo a priori, composições diferenciadas de pequenos mamíferos terrestres, exceto em áreas de ecótono. Este fato vem mudando por conta de fragmentação e degradação desses ambientes. Desta forma, o presente estudo teve como objetivo o levantamento de pequenos mamíferos não voadores nos domíninos morfoclimáticos da Mata Atlântica e Cerrado por meio de egagrópilos de Tyto furcata, a fim de buscar compreender as atuais composições e distribuições faunísticas do grupo, e espécies que possam atuar como invasoras de novos ambientes. Os egagrópilos coletados correspondem a áreas rurais do município Carangola no estado de Minas Gerais e Jataí no estado do Goiás. Os fragmentos foram limpos e as estruturas de morfologia dentárias identificadas a nível genérico a partir de referências bibliográficas e comparação com exemplares depositados no acervo científico do Museu de Zoologia da Zona da Mata Mineira, pertence à universidade do estado de Minas Gerais Unidade Carangola. Ao todo 606 fragmentos foram analisados e oito gêneros foram similares entre as áreas. Sendo estes Akodon, Calomys, Delomys, Hylaemys, Necromys, Nectomys, Oligoryzomys e Rhipdomys. Na amostra correspondente à região de Mata Atlântica (Carangola/MG) foram identificados 11 gêneros, diferenciando-se pela presença de Cerradomys, Euryoryzomys e Pseudoryzomys. Quanto aos fragmentos pertencentes ao Cerrado (Jataí/GO), 12 gêneros foram diagnosticados, onde Oxymycterus, Rattus e Sooretamys foram únicos dessa região. Destaca-se o registro de Pseudoryzomys simplex, um roedor considerado como raro e registrado pela primeira vez na Zona da Mata Mineira, aumentando sua distribuição em aproximadamente 400 km ao sudeste. A incidência de táxons típicos de áreas abertas como CalomysPseudoryzomys e Necromys em região de Mata Atlântica demonstra alto grau de perturbação nas áreas florestais da região amostrada, além disso, indica que espécies destes gêneros vêm expandindo seus hábitats para além das regiões de ecótono modificando assim, seus padrões de distribuição geográfica. A presença da espécie exótica Rattus rattus relaciona-se aos hábitos de forrageio peridomiciliar de Tyto furcata, que pode estar agindo como controladora natural das populações deste roedor que também é vetor de zoonoses. A importância da análise de agagropilos, principalmente de corujas do gênero Tyto, para estudos de pequenos mamíferos tem sido demonstrada por diversos trabalhos. Esta metodologia fornece o registro de pequenos mamíferos raros ou difíceis de capturar com armadilhas, como corroborado neste estudo, contribuindo assim para o entendimento dos atuais padrões de distribuição do grupo.

Palavras-chave

Levantamendo faunístico, taxonomia de roedores, distribruição geográfica

Financiamento

Área

Inventário de Espécies

Autores

Lizandra Regina Bigai, Michel Barros Faria, Rayque de Oliveira Lanes, Marlon Zortéa