X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

“DIETA DE GATO-DO-MATO PEQUENO (LEOPARDUS GUTTULUS) E GATO MARACAJA (LEOPARDUS WIEDII) RELACIONADA A ABUNDANCIA DE PEQUENOS ROEDORES E MARSUPIAIS NO INTERIOR DO ESTADO DE SAO PAULO”

Resumo

L. guttulus (1,5-3,0 kg) e L. wiedii (3,0-9,0 kg) ocorrem em simpatria e competem diretamente por recursos alimentares. O deslocamento de nicho alimentar propicia a coexistência de espécies simpátricas, pela redução da competição. Com a fragmentação florestal e limitação de recursos, estes felídeos podem ter suas relações de competição estreitadas, em áreas com maior impacto antrópico, como o interior de São Paulo. Nosso objetivo foi determinar os itens alimentares de L. guttulus e L. wiedii, avaliar a sobreposição de nicho entre as duas espécies e comparar as espécies de pequenos mamíferos existentes com as consumidas pelos felídeos, avaliando sua seleção de presas. Comparamos os conteúdos de amostras fecais com dados de levantamentos padronizados de pequenos roedores e marsupiais (n= 278 capturas; esforço = 10780 armadilhas-noite; armadilhas de captura viva 80 Sherman e 20 Young x 4 noites x 2 estações - seca e chuvosa) realizados entre 2008 e 2012, em 14 fragmentos florestais (de 2 a 220 ha) da Região Metropolitana de Campinas, SP, região onde as amostras dos felídeos foram coletadas. As análises das fezes e identificações foram feitas em laboratório. Para identificação de roedores, foram utilizados os molares nas amostras. As análises de amplitude do nicho alimentar e sobreposição foram calculadas pelos índices de Levins e de Pianka, respectivamente. A soma das abundancias de cada espécie em todos os fragmentos foi utilizada para o cálculo da porcentagem de cada espécie de roedor no ambiente no Índice de Ivlev. Dentre as 100 amostras fecais, 64 eram de L. wiedii e 36, de L. guttulus. Para L. wiedii, houve uma média de 1,6 itens alimentares por amostra, com identificação de 5 espécies de roedores (Akodon sp., Necromys lasiurus, Oligoryzomys cf flavescens, Calomys spp. e M. musculus). Para L. guttulus, houve uma média de 2,25 itens alimentares por amostra, com 7 espécies de roedores identificados (as registradas para L. wiedii, além de O. cf nigripes, Calomys sp 1 e Calomys sp. 2). O índice de Levins padronizado foi semelhante para as duas espécies (0,3968 para L. wiedii e de 0,3952 para L. guttulus), mostrando também uma grande sobreposição na dieta (índice de Pianka = 0,957). Pelo Índice de eletividade de Ivlev, a seletividade alimentar foi similar para as duas espécies para a maioria das espécies de pequenos mamíferos. A alta sobreposição de nicho (95,7%) divergiu de outro estudo realizado com pequenos felídeos em área contínua na Serra do Japi (69%). L. guttulus apresentou amplitude de dieta similar a L. wiedii, concordando com os resultados obtidos na Serra do Japi, embora L. wiedii lá tenha sido mais generalista, mas também tenha se alimentado de cinco espécies (e L. guttulus de seis). Nossos resultados mostram que nesta região, com alteração na cobertura vegetal e fragmentação florestal, as duas espécies aumentaram a sobreposição de dieta, mostrando a importância da manutenção de áreas preservadas para sua coexistência.

Palavras-chave

Dieta de pequenos felídeos, competição, seletividade alimentar, sobreposição de nicho, fragmentação florestal.

Financiamento

Área

Ecologia

Autores

Rhayssa Terra de Faria, Paulo Ricardo de Oliveira Roth, Alexandre Reis Percequillo, Eleonore Zulnara Freire Setz