X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DIVERSIDADE DE MAMIFEROS DE MEDIO E GRANDE PORTE EM UM PARQUE ECOLOGICO DE ECOTONO CERRADO/MATA ATLANTICA

Resumo

As perturbações antrópicas atingem áreas importantes para conservação de mamíferos, inclusive em parques já consolidados.  O Parque Ecológico Quedas do Rio Bonito (PEQRB) fica na cidade de Lavras, Minas Gerais e apresenta um certo grau de perturbação. Os efeitos das perturbações humanas são muito perceptíveis nas populações de mamíferos de médio e grande porte, pois essas necessitam de grandes áreas e estão mais sujeitos à impactos, como a caça e a perda de habitats. O parque está localizado em um ecótono de Cerrado e Mata Atlântica, apresentando um mosaico de tipos fitofisionômicos em diferentes estágios de sucessão. Descrevemos sua diversidade de mamíferos de médio e grande porte e avaliamos a similaridade de espécies entre os habitats para indicar o grau de variação na composição e informar a distribuição das espécies entre os fragmentos. A avaliação da similaridade entre os habitats permite reconhecer os tipos preferidos no mosaico de paisagem, permitindo a adoção estratégias de manejo e conservação. Realizamos o levantamento durante 10 meses no ano de 2016, utilizando o método de amostragem por armadilhas fotográficas. Oito armadilhas fotográficas foram colocadas em quatro tipos fitofisionômicos: Floresta Estacional Semidecidual, Cerrado Típico, Mata de Galeria e Campo Cerrado, com duas câmeras em cada. Empregamos um esforço amostral total de 57.600 horas. Encontramos uma riqueza de 13 espécies, sendo 12 nativas e uma exótica, pertencentes a sete ordens e 10 famílias. Das 13 espécies encontradas, duas são consideradas vulneráveis pelo Ministério do Meio Ambiente, Chrysocyon brachyurus e Puma yagouaroundi. O grau de similaridade entre os quatro tipos fisionômicos vegetais permaneceu alto, variando de 50 a 73%, indicando uma distribuição uniforme das espécies entre os habitats. A espécie encontrada em maior número foi Canis Lupus Familiaris (cachorro doméstico), com 448 registros. Entre as principais ameaças encontradas estão os cães e gatos domésticos, pois eles são um dos principais predadores da vida selvagem nativa em áreas protegidas em todo o mundo, e os mamíferos são as presas mais frequentes. A erradicação regular de cães e gatos nas unidades de conservação, especialmente em pequenos fragmentos florestais, é essencial para manter a vida silvestre nativa e os processos biológicos em que fazem parte. De acordo com nossos resultados, consideramos que a fauna de mamíferos de médio e grande porte do Parque apresenta uma riqueza expressiva, representando 29% dos mamíferos de médio e grande porte descritos para o estado de Minas Gerais. Os altos valores de similaridade indicam que há pouca variação na composição de espécies levando a distribuição uniforme entre os habitats. Esses resultados sugerem que apesar do PEQRB apresentar uma área relativamente pequena, a presença de uma variedade de tipos fisionômicos de vegetação proporcionam uma diversidade de habitats adequados para manutenção de uma parte relevante da fauna de mamíferos de médio e grande porte do Estado. Consideramos, portanto, que o Parque é uma área protegida de grande importância para a manutenção da biodiversidade e manutenção de populações de mamíferos de médio e grande porte da região. 

Palavras-chave

Mamíferos; Armadilha-fotográfica; Similaridade entre habitats; Conservação 

Financiamento

Área

Inventário de Espécies

Autores

Ellen Cristina Mões Oliveira, Antônio Carlos da Silva Zanzini, Felipe Santana Machado