X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

CUIDADO! CAPIVARA NA PISTA!

Resumo

As capivaras (Hydrochoerus hydrochaeris) são animais frequentemente encontrados em paisagens antropizadas do estado de São Paulo. Sua proximidade com as populações humanas tem causado uma série de conflitos, incluindo uma das maiores ameaças de perda da biodiversidade: o atropelamento de animais. Muitas vezes, a colisão de veículos com capivaras resulta em ferimentos e até a morte de pessoas e de animais, além de danos financeiros. Este trabalho teve como objetivo analisar o padrão de atividade de capivaras, levantar informações sobre o atropelamento da espécie e identificar o período com maior risco de colisão nas rodovias. Para isso, foram capturadas catorze capivaras fêmeas para colocação de colar GPS (Lotek Iridium Track) em seis municípios do estado de São Paulo. Os colares foram programados para obter a localização geográfica do animal a cada duas horas, durante os 60 primeiros dias, e posteriormente, a cada 4h e 17 min. A coleta desses dados ocorreu de julho de 2015 a julho de 2017, variando de 12 à 710 dias. O padrão de atividade foi analisado a partir do comprimento dos passos dos indivíduos monitorados nas diferentes horas do dia. Foram obtidos dados de atropelamento de fauna de dezoito concessionárias de rodovias do estado de São Paulo, responsáveis pelo monitoramento de 6.580 km de rodovias pavimentadas entre 2005 e 2014. A equipe de inspeção de tráfego das concessionárias são obrigadas a checar toda a extensão das rodovias a cada, no máximo, três horas. De acordo com o horário em que as carcaças foram encontradas, os registros de atropelamentos foram classificados em período diurno (6:00 às 18:00) ou noturno (18:01 às 5:59). As capivaras apresentaram dois picos de atividade, um com início às 5:00h e outro pico às 19:00h estendendo-se pelo período noturno, demonstrando um padrão de atividade adaptado a vida em paisagens tipicamente urbanas, em que as espécies evitam a presença humana. No total dos atropelamentos, foram registradas 11.863 capivaras, sendo a espécie com maior número de registros (33,42% do total dos atropelamentos de mamíferos). No período noturno, ocorreu 67,1% dos atropelamentos de capivaras, período que coincide com sua maior atividade e menor visibilidade para os motoristas. Os picos de atropelamentos ocorreram entre 1:00h e 3:00h.  Os dados deste estudo indicam aos administradores rodoviários os horários críticos de atropelamento de capivaras, um dos mamíferos mais atropelados do Estado de São Paulo, e podem ser utilizados para subsidiar medidas de mitigação para redução de atropelamento da espécie como manejo de velocidade e sinalização de travessia de fauna em horários e locais específicos, como Áreas de Preservação Permanente. Ainda, é altamente recomendável a instalação de outras medidas de mitigação como passagens inferiores de fauna em combinação com cercas com design específico para barrar a entrada de capivaras nas rodovias e guiá-las até uma passagem segura de fauna. Destaca-se que a relação custo-benefício do investimento nessas medidas é positiva, pois são benéficas tanto para a segurança dos usuários quanto para a conservação da fauna. Nós agradecemos o apoio da Agencia FAPESP (2013/18046-7, 2016/17941-0) para realização deste estudo.

Palavras-chave

Capivara, monitoramento, atividade, atropelamento, rodovia

Financiamento

Agencia FAPESP (Processos 2013/18046-7 e 2016/17941-0)

Área

Biologia da Conservação

Autores

Beatriz Lopes, Fernanda Delborgo Abra, Marcelo Bahia Labruna, Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros Ferraz