X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

O USO DE ANALISE DE PODER PARA REVER E REDIRECIONAR ESFORÇOS NO MONITORAMENTO DA ANTA (TAPIRUS TERRESTRIS) NO LEGADO DAS AGUAS, MATA ATLANTICA DO ESTADO DE SAO PAULO.

Resumo

Detectar mudanças na proporção de sítios ocupados por uma espécie ao longo do tempo e espaço é fundamental para acompanhar processos de retração e expansão na distribuição e apoiar decisões de proteção e manejo. No entanto, o exercício de avaliar se o nível de esforço amostral conduzido em um programa de monitoramento é suficiente para detectar importantes mudanças na ocupação de uma espécie e tem sido pouco aplicado. Em uma Reserva Particular da Mata Atlântica no estado de São Paulo, o Legado das Águas, com mais 310 km2 de Floresta de Ombrófila Densa Montana, nós avaliamos o desempenho de um esforço amostral, conduzido por armadilha fotográfica, para detectar taxas de declínio na proporção de sítios usados por um grande mamífero ameaçado de extinção, a anta (Tapirus terrestres). Dados de detecção e não detecção da espécie foram obtidos a partir de uma amostragem preliminar de 20 sítios (cada sítio representa um único ponto de armadilha fotográfica) com espaçamento de 3 km e 60 dias de levantamento entre maio e julho de 2017. Em cada sítio, os registros da anta foram agrupados em intervalos de 10 dias (6 ocasiões). A partir do modelo mais simples, as estimativas de ocupação (y) e detectabilidade (p) indicaram 53% (variando de 30 a 60%) de proporção de uso da anta durante o período de amostragem, com uma chance em média de 33% (variando de 21 a 48%) por ocasião de ser detectada, quando presente ou usando o sítio. Com base no valor estimado de p, seriam necessárias 4 ocasiões de amostragem para ter 85% de chance de detectar a espécie no sítio ao menos uma vez, indicando que o período de amostragem foi mais do que suficiente para evitar falsa ausência. Posteriormente, utilizamos análise de poder com critérios de significância de α = 0.1 e 1-β = 0.9 para determinar o número de sítios amostrais necessário para detectar taxas de declínio de 20 a 80% na proporção de sítios usados pela anta. Os resultados mostraram que, com apenas 20 sítios, seria possível detectar mudança somente com grandes taxas de declínio (80% ou mais). Por outro lado, detectar pequenas mudanças (de 20 a 30%) requer um grande esforço amostral, mais de 200 sítios, o que pode inviabilizar o monitoramento. Um esforço moderado, em torno de 60-70 sítios, possibilitaria detectar declínio em torno de 50% ou mais. Considerando o delineamento conduzido para o monitoramento da anta nessa área protegida, nós recomendamos que esforços sejam direcionados para aumentar o número de sítios amostrais necessário para detectar pelo menos taxas moderadas de declínio (em torno de 50%) na proporção de uso da espécie.

Palavras-chave

Palavras-chave: armadilhamento fotográfico; desenho amostral; Mata Atlântica; monitoramento; ocupação.

Financiamento

Legado das Águas - Reserva Votorantim

Área

Biologia da Conservação

Autores

Roberto Fusco-Costa, Mariana Bueno Landis, Leticia Prado Munhoes