X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

NOVO NUMERO DIPLOIDE E CARIOMORFO PARA A ESPECIE DE ROEDOR BLARINOMYS BREVICEPS (CRICETIDAE: SIGMODONTINAE)

Resumo

Conhecido como rato-toupeira, o roedor representado pela única espécie Blarinomys breviceps (Winge, 1888) se destaca da maioria dos demais sigmodontíneos por seu hábito fossorial. Sua morfologia externa está intimamente relacionada a esse tipo de hábito, como olhos e orelhas diminutos, garras longas e cauda curta. Com uma distribuição atual abrangendo o bioma Mata Atlântica tal como áreas de transição entre Mata Atlântica e Cerrado, essa espécie ocorre desde o sul da Bahia ao sul do estado de São Paulo, além do nordeste da Argentina. Embora sua distribuição seja ampla, ainda são reduzidos os registros de sua ocorrência em razão do seu hábito fossorial dificultar a captura. Dessa forma, essa é uma espécie considerada rara em coleções científicas. Atualmente, os estudos de cariótipos tem revelado ser de grande importância na classificação e caracterização de inúmeras espécies. Portanto, este estudo objetivou analisar e caracterizar, pela primeira vez, o cariótipo de representantes de Blarinomys breviceps de uma população localizada em um fragmento de Mata Atlântica, no município de Viçosa (20°5’S, 42°3’O), sudeste do estado de Minas Gerais. Para isso foram analisadas suspensões celulares depositadas na coleção mastozoológica do Museu de Zoologia João Moojen pertencente à Universidade Federal de Viçosa. Foram realizadas análises citogenéticas em cromossomos metafásicos obtidos a partir de células da medula óssea de dois exemplares, uma macho e uma fêmea. Os cromossomos foram corados com Giemsa para a observação, em microscopia de luz, do número diploide (2n) e do número fundamental de braços autossômicos (NF). Além disso, eles foram medidos através do software Image Pro Plus e classificados morfologicamente de acordo com a posição do centrômero, seguindo a literatura. Todas as imagens das metáfases foram obtidas com o microscópio Olympus BX53 acoplado ao software Olympus CellSens Imaging e as melhores metáfases foram selecionadas e editadas no Adobe Photoshop para a montagem do cariótipo. Ao final das análises foi obtido um número diplóide,  2n = 40, nunca antes registrado para a espécie. Para o número fundamental de braços autossômicos não houve novidade, permanecendo NF = 50 como é encontrado na literatura. Além do número diplóide, a morfologia dos pares cromossômicos trouxe um novo cariomorfo para espécie, sendo o conjunto autossômico representado por 1 par de cromossomos metacêntricos médios, 5 pares submetacêntricos médios e 13 pares acrocêntricos decrescendo em tamanho. Quanto ao par sexual, o resultado obtido corroborou com a literatura, através do qual o macho apresentou um par de cromossomos acrocêntricos sendo o X grande e o Y pequeno e as fêmeas apresentaram um par de X acrocêntricos grandes. Baseado em análises comparativas entre outros espécimes estudados na literatura, a espécie Blarinomys breviceps possui uma ampla diversidade cariotípica provocada por rearranjos cromossômicos sofridos ao longo de seu processo genômico, conservando apenas o NF. Dessa forma, o cariótipo encontrado para os espécimes analisados no presente trabalho contribuiu para ampliar ainda mais a diversidade cariotípica existente em torno das populações de Blarinomys breviceps.

Palavras-chave

Cariótipo, rato-toupeira, citogenética, akodontini

Financiamento

CAPES, CNPq, FAPEMIG

Área

Sistemática e Taxonomia

Autores

Bianca Souza Araújo Adão, Gisele Lessa