X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

REVISÃO TAXONÔMICA DE NEACOMYS TENUIPES E NEACOMYS PICTUS (RODENTIA: SIGMODONTINAE)

Resumo

Neacomys é um dos gêneros da tribo Oryzomyini e atualmente inclui 12 espécies reconhecidas. Como outros membros da tribo, este gênero apresenta problemas taxonômicos. Uma das razões é que grande parte de seus táxons foram descritos entre 1882 e 1940, com diagnoses curtas que dificultam a delimitação entre as espécies do gênero. Dentre estas, estão as espécies pouco estudadas Neacomys tenuipes e N. pictus. Neacomys tenuipes, descrita por Thomas em 1900, distribui-se na Colômbia e Venezuela e N. pictus, descrita por Goldman em 1912, é endêmica da província de Dárien, no Panamá. Neacomys tenuipes inclui como sinônimo júnior N. pusillus, descrita por Allen em 1912, decisão tomada principalmente com base em características externas. Esta espécie também foi utilizada em comparações para descrições de espécies recente. Já N. pictus foi comparada em sua descrição unicamente com N. tenuipes, e apenas em relação à coloração do corpo. Esta espécie foi considerada por alguns autores como uma subespécie de N. tenuipes, mas essa hipótese nunca foi testada. O objetivo deste trabalho foi testar a validade taxonômica de Neacomys pictus, N. tenuipes e N. pusillus utilizando características qualitativas externas, cranianas e dentárias além de análises morfométricas. Para tal foram utilizados 114 indivíduos de 27 localidades que, para as análises qualitativas e quantitativas, foram agrupados em amostras geográficas. Para cada indivíduo foram analisadas 39 características qualitativas e foram obtidas 18 medidas crânio-dentárias, utilizadas para Analise de Componentes Principais (ACP) e Análise de Variáveis Canônicas (AVC). O resultado da ACP mostra uma grande sobreposição entre todos os indivíduos, entretanto a AVC mostra os indivíduos estruturados em 3 grupos: o primeiro incluindo os indivíduos da Venezuela, o segundo incluindo os indivíduos do Panamá (incluindo o holótipo de N. pictus) e o holótipo de N. pusillus, e o terceiro corresponde aos demais indivíduos da Colômbia. Dentre as diferenças qualitativas, os indivíduos do Panamá e San José apresentam a abertura anterior do canal alisfenóide ossificada, enquanto os dos demais grupos apresentam abertura ampla. Já os indivíduos da Venezuela apresentam a borda da placa pterigóide reta e o anterocone do M não dividido, enquanto os demais grupos apresentam placas arredondadas e o anterocone do M1 dividido por um flexo anteromediano. Concluimos que os indivíduos da Colômbia correspondem a Neacomys tenuipes, enquanto os da Venezuela correspondem a uma nova espécie. Já o terceiro grupo representa uma espécie distinta das demais que pode ser associada aos nomes Neacomys pictus e Neacomys pusillus. Considerando o princípio de prioridade, o nome que deve ser aplicado a esta espécie é Neacomys pusillus e N. pictus deve ser considerado seu sinônimo júnior. As três espécies aqui reportadas carecem de informação sobre seu cariótipo e apresentam amostragem deficiente de marcadores moleculares, com apenas uma sequência de citocrômo b disponível para N. tenuipes e nenhuma disponível para N. pusillus ou para a nova espécie da Venezuela. Tais informações podem fornecer novas evidências que corroborem o reconhecimento destas espécies, além de permitir investigações sobre seu posicionamento filogenético e os processos biogeográficos relacionados com a diversificação destas espécies.

Palavras-chave

Ratos-de-espinho-pequenos, variação morfológica, delimitação de espécies 

Financiamento

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (processo n°88882.18329/2018-01);

Science Visting Scholarship  (Field Museum);

Ernst Mayr Travel Award In Animal Systematics (Harvard University/ Museum of Comparative Zoology).

Área

Sistemática e Taxonomia

Autores

Aldo Caccavo, Marcelo Weksler