X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

A PREGUIÇA VAI AO JARDIM BOTANICO

Resumo

Bradypus variegatus Schinz, 1825 é uma espécie amplamente distribuída pela América do Sul e Central, apresentando baixo risco de extinção, porém a constante perda de vegetação e fragmentação da Mata Atlântica pode representar risco à populações locais. A partir de dados de resgates, providos pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro, o presente estudo estrutura a população de preguiças-comuns de um fragmento de Mata Atlântica do Rio de Janeiro, apresentando dados como densidade populacional, razão sexual e pontos de maior ocorrência. A Equipe de Fauna do JBRJ em cooperação técnica com o IBAMA realiza atendimento a todos os vertebrados que ocorrem dentro do jardim, fornecendo a cada indivíduo um microchip de identificação e ficha cadastral contendo dados do resgate, estado do animal, medidas, peso e número de identificação. Tais fichas, de 2015 a 2018, foram analisadas para estruturar a população de B. variegatus local. Utilizamos metodologia adaptada de estudos prévios para estimar as classes etárias, seguindo o seguinte padrão: infante, HBL < 30 cm; jovens, 30 cm < HBL < 40 cm; subadultos, 40 cm < HBL < 60 cm; adultos, HBL > 60 cm (HBL = comprimento total + cauda). Para estimar razão sexual consideramos apenas indivíduos sexualmente maduros. Do total de 44 indivíduos resgatados, 24 eram fêmeas e 16 machos. Três indivíduos foram encontrados em estado de decomposição e um fora violentamente atacado por cães sendo, posteriormente, eutanasiado. Não foram observados filhotes ou fêmeas gestantes. Dentre as principais causas das ocorrências podemos destacar quedas de árvores, deslocamento pelo chão e eletrocussão. A população apresentou densidade de 0,74 ind/ha, biomassa de 3,10 kg/ha e razão sexual de 1 macho para cada 1,3 fêmeas (N = 7 adultos). Locais como o Canteiro 17 (18,2%), Lago Frei Leandro (15,9%) e Cactário (6,8%) apresentaram maior número de ocorrências. Segundo literatura, em grandes regiões florestadas espera-se variações de densidade entre 2,12 ind/ha e 8,5 ind/ha, podendo atingir 12,5 ind/ha em locais antropizados. Embora a baixa densidade, aqui encontrada, não infira uma baixa abundância pode ser um indicativo de potencial risco de extinção local, se considerarmos o efeito de Allee. A constante perda de habitat leva a espécie a buscar recursos em fragmentos de área urbana, o que a caracteriza sinantrópica, explicando o fato de tantas ocorrências dentro do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A razão sexual não diferiu significamente do esperado, 1:1. Os maiores números de ocorrência foram provenientes de localidades mais próximas da Mata Atlântica. O fato das preguiças estarem evitando os limites do JBRJ pode estar ligado à tendência de paralisia perante altos ruídos, o que pode explicar as baixas ocorrências nos limites do JBRJ visto o trânsito intenso nos arredores. Por serem vítimas comuns de atropelamentos, é importante ressaltar o papel do JBRJ como área de conservação in situ da fauna já que se encontra dentro dos limites da zona de amortecimento (ou tampão) do Parque Nacional da Tijuca.

Palavras-chave

Bradypus variegatus; estrutura populacional; razão sexual; zona tampão.

Financiamento

Área

Biologia da Conservação

Autores

Gabriel da Silva Lopes, Ana Carolina Maciel Boffy, Gabriela Cortes Heliodoro, Luisa Maria Diele-Viegas