X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

INVENTARIO DA QUIROPTEROFAUNA DA AREA DE PROTEÇAO AMBIENTAL (APA) DO CATOLE E FERNAO VELHO, MACEIO, ALAGOAS, BRASIL

Resumo

A Mata Atlântica encontra-se entre as florestas tropicais mais fragmentadas em todo o mundo. Calcula-se que, dos quase 1.3 milhões de km² originais de floresta, atualmente restam cerca de 7.6% desta área. Apesar de muito fragmentado, o bioma apresenta alta riqueza de espécies de mamíferos, com mais de 300 espécies registradas. Dentre elas, encontram-se os morcegos, que são o segundo grupo de mamíferos mais diversos do mundo, com cerca de 1300 espécies catalogadas. No Brasil, são conhecidas aproximadamente 178 espécies, cerca de 120 delas registradas na Mata Atlântica. Na região Nordeste já são aproximadamente 99 espécies já descobertas. O presente estudo teve como objetivo inventariar os quirópteros da Área de Proteção Ambiental (APA) do Catolé e Fernão Velho. Esta área fragmentada configura-se como uma Unidade de Conservação de uso sustentável criada a partir da Lei Estadual nº 5.347 de 1992, com área total de 3.817 hectares, sendo o maior remanescente de Mata Atlântica da cidade Maceió, representando cerca de 6,62% de toda a extensão territorial da capital alagoana. A APA (9º33’24.70”S e 35º37’53.43”W) abriga importantes remanescentes florestais, áreas de tabuleiro costeiro com manchas de Cerrado, mananciais, bem como possui áreas que sofrem com a expansão urbana (em especial a pressão imobiliária) e com atividade de cultivo de cana-de-açúcar. Ressalta-se que a APA não possui um plano de manejo. Foram amostradas três áreas distribuídas ao longo da APA do Catolé e Fernão Velho: Cerrado (seis noites de amostragem), Floresta (três noites) e remanescentes florestais próximos a áreas urbanas (uma noite). Utilizou-se duas redes de neblina de 10x2,5m e uma de 12x3m, distribuídas em duas estações de captura, armadas entre 17:30h e 21:30h e vistoriadas a cada 30 minutos. O esforço amostral total foi de 3.140 m².h. A amostragem resultou em 105 capturas de oito espécies diferentes, as quais sete pertencem à Família Phyllostomidae - Carollia perspicillata (n=54), Dermanura cinerea (n=22), Artibeus lituratus (n=11), Artibeus obscurus (n=10), Platyrrhinus lineatus (n=3), Artibeus planirostris (n=1) e Glossophaga soricina (n=1) - e uma à Família Vespertilionidae - Myotis lavali (n=3). A espécie mais abundante foi C. perspicillata (51,4%), seguida por D. cinerea (21%) e A. lituratus (10,5%). A predominância da Família Phyllostomidae já era esperada, pois além de ser a família mais diversa, o método de amostragem tende a capturar espécies de voo baixo e pouca percepção das redes de neblina. O vespertilionídeo M. lavali é geralmente encontrado em biomas mais secos, como Caatinga e Cerrado. Entretanto, por ter sido descrito há poucos anos, muito pouco se sabe sobre sua história natural, incluindo distribuição geográfica, assim como ainda não foi definido seu status de conservação. Este é o primeiro inventário da quiropterofauna da APA do Catolé e Fernão Velho. Os resultados obtidos condizem com os já encontrados em outros fragmentos da região Nordeste e subsidiam a elaboração de um plano de manejo para a unidade de conservação. É importante destacar a necessidade de novos estudos na região, ampliando os conhecimentos da área e viabilizando a construção de estratégias mais efetivas de conservação.

Palavras-chave

Mata Atlântica, Morcegos, Levantamento, Fragmento Urbano.

Financiamento

Área

Inventário de Espécies

Autores

Marco Antônio Camargo-Borges, Anna Ludmilla Costa-Pinto, Lucas Augusto Santos Silva, Thainá Lessa Pontes Silva, Hermínio Alfredo Leite Silva Vilela