X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

“ESTRADAS SENTINELAS”: O QUE ELAS NOS DIZEM SOBRE A SAUDE DOS TAMANDUAS-BANDEIRAS?

Resumo

O tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) é uma espécie icônica na América do Sul, e considerada vulnerável a extinção (IUCN). Florestas arbustivas e pastagens são seus principais redutos no Cerrado brasileiro, porém nos últimos 35 anos, mais da metade deste bioma tem sido convertido em agricultura e pastagens. Habitats remanescentes estão fragmentados e dissecados por malhas rodoviárias em contínua expansão e são uma das principais ameaças para a espécie, com impacto significativo em populações locais. Desde 2017, o Projeto Bandeiras e Rodovias monitora indivíduos com coletes gps-iridium, e percorre três principais rodovias do estado do Mato Grosso do Sul, MS-040, BR-262 e BR-267, mapeando atropelamentos. O principal objetivo deste projeto é entender a dinâmica dos tamanduás-bandeiras com as rodovias e o porquê estão entre as espécies mais atropeladas. Umas das iniciativas deste projeto é o estudo da saúde das populações através dos indivíduos capturados próximos às rodovias e de necropsias de animais atropelados. O sucesso desta iniciativa se dá pelo desenvolvimento de parcerias, com uma força-tarefa interdisciplinar de 25 pesquisadores e 15 instituições. No total, já foram capturados 50 indivíduos adultos e realizadas 55 necropsias. Resultados preliminares destacam diferentes métodos e análises aplicados para diagnósticos de fungos, parasitos, bactérias, vírus e, de forma pioneira, a detecção de agrotóxicos e metais pesados e seu impacto sobre a saúde dos tamanduás. Fungos dermatófitos não foram isolados em pele ou pelos, porém, Malassezia pachydermatis foi isolada de condutos auditivos de todos os 8 indivíduos analisados e Paracoccidioides brasiliensis foi detectado molecularmente em 12 animais. Foram coletados 179 carrapatos e identificadas três espécies: Amblyomma coelebs, A. nodosum e A. sculptum. Endoparasitos foram identificados: Gigantorhyncus echinodiscus em 19 indivíduos e Sarcocystis spp em 4. A pesquisa de patógenos zoonóticos como Trypanosoma cruzi (Doença de Chagas), Leishmania spp, Brucella abortus e Lissavírus, apresentaram resultados negativos. Um total de 12 animais foram soropositivos para Leptospira spp, sendo 8/12 para L. interrogans (serovares Cynopteri, Ichterhaemorragiae e Grippotyphosa). Análises toxicológicas de 13 diferentes principais pesticidas (formicidas e cupinicidas) como 2,4-D, Aldicarbe, Aldicarbe sulfona, Atrazina, Carbofuran, Clorpirifós, Deltametrina, Fentiona, Fipronil, Malationa, Mevinfós, Permetrina, Sulfluramida estão em processo de validação e análise. Metais pesados como mercúrio foi analisado em 142 diferentes amostras de pelos, com resultados positivos e variações de concentração de 271 ng · g -1 até 4767,60 ng · g -1 por indivíduo.  Os achados anatomopatológicos destacam as lesões compatíveis com trauma veicular (p. ex., fraturas ósseas, rompimento de órgãos parenquimatosos, hemorragias e hematomas), no entanto também foram identificados processos não associados a trauma (p. ex., infestação por endoparasitas, proteinose/degeneração tubular renal e esteatose hepática). Esta iniciativa demonstrou ser eficaz para obtenção e análise de uma ampla variedade de amostras biológicas e relevante para determinados diagnósticos. Assim, as “estradas sentinelas” podem contribuir com dados cruciais sobre as condições de saúde das populações locais, sendo complementares ao desenvolvimento de estratégias para conservação de espécies chaves como o tamanduá-bandeira.

Palavras-chave

tamandua-bandeira; Myrmercophoga tridactyla; saúde; ecologia; rodovia; 

Financiamento

Agradecimentos Financiadores e Parceiros: https://www.giantarmadillo.org.br/copy-of-publications-1 e http://www.tamanduabandeira.org/colaboradores.html

 

Área

Parasitologia/Epidemiologia

Autores

Danilo Kluyber, Mario Henrique Alves, Débora Regina Yogui, Thiago F Martins, Marília Setti, Mariana C. da Silva, Gabriel O de Carvalho, Pedro E. Navas-Suarez, Gislaine T Dalazen, André L R Roque, Ana M Jansen, Juliana A Galhardo, Hans G Garces, Selene D Coutinho, Arnaud J. L Desbiez