X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ESTRUTURA POPULACIONAL DO MORCEGO TADARIDA BRASILIENSIS NO EXTREMO SUL DO BRASIL: RAZAO SEXUAL, ESTRUTURA ETARIA E REPRODUÇAO

Resumo

Espécies de morcegos abundantes são importantes agentes no controle de populações de insetos, são dispersores de sementes e polinizadores e podem ser utilizados como indicadores de degradação ambiental e mudanças climáticas. Além disso, oportunizam a realização de pesquisas que não seriam possíveis com espécies de difícil manejo, raras ou em risco de extinção. Tadarida brasiliensis (I. Geoffroy, 1824) é uma espécie insetívora pertencente à família Molossidae, amplamente distribuída nas Américas e abundante em certos pontos de sua distribuição, como no Sul do Brasil. A estrutura e dinâmica de suas populações são bem conhecidas na América do Norte, porém, praticamente nada se conhece das populações da América do Sul, dificultando ações de conservação e manejo. O objetivo do trabalho foi avaliar a estrutura da população de T. brasiliensis quanto à razão sexual, composição etária e estágio reprodutivo nas diferentes estações do ano no extremo sul do Brasil. O estudo foi realizado entre a primavera de 2017 e o inverno de 2018 no município do Capão do Leão (RS), na região da Planície Costeira, no Bioma Pampa. O clima apresenta grandes flutuações estacionais na temperatura e não existe nenhum período marcado de seca. Foram realizadas capturas de indivíduos em 11 colônias alojadas em construções humanas com a utilização de redes de neblina ou armadilha do tipo harpa na emergência dos morcegos ao anoitecer uma vez a cada estação do ano. O máximo de indivíduos possível era capturado e todos eram libertados após a obtenção dos dados. Foram capturados 2956 indivíduos: 650 (22%) na primavera; 1034 (35%) no verão; 800 (27%) no outono e 472 (16%) no inverno. Dos indivíduos capturados na primavera, 205 (31,5%) eram machos e 445 (68,5%) fêmeas; no verão, 438 (42,4%) eram machos e 596 (57,6%) fêmeas; no outono, 441 (55%) eram machos e 359 (45%) fêmeas; e, no inverno, 204 (43%) era machos e 268 (56,8%) fêmeas. A reprodução ocorre na primavera e verão, sendo que das 445 fêmeas adultas capturadas na primavera, 299 (67%) estavam grávidas e 116 estavam lactantes (26%). No verão, foram capturadas 447 fêmeas adultas, nenhuma estava grávida e 132 (29%) estavam lactantes. Dos 1034 indivíduos capturados no verão, 296 (28,62%) eram subadultos e, destes, 147 (49,66%) eram machos e 149 (50,34%) fêmeas. Os resultados indicam que a população de T. brasiliensis estudada é residente na região e apresenta variações na sua composição ao longo do ano. O extremo sul do Brasil é uma importante região de reprodução da espécie e na primavera e verão são formadas colônias reprodutivas que agregam milhares de indivíduos adultos e seus filhotes. Aparentemente, a variação temporal na estrutura populacional de T. brasiliensis pode ser atribuída a seu comportamento reprodutivo resultante de adaptações à regiões com marcada sazonalidade na temperatura. A região sul do Brasil é de fundamental importância para a conservação da espécie e os resultados obtidos constituem a base para a implementação de um projeto de anilhamento para o monitoramento de longo prazo das populações de Tadarida brasiliensis no extremo sul do Brasil.

Palavras-chave

Chiroptera, Molossidae, reprodução

Financiamento

Área

Ecologia

Autores

Letícia Jansen Medeiros, Isadora Brauner Lobato, Adeline Dias Franco, Ana Maria Rui