X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

CARACTERIZAÇAO DA MICROESTRUTURA DO PELO DE ESPECIES DA FAMILIA PITHECIIDAE (MAMMALIA: PRIMATES)

Resumo

A associação das características da cutícula e da medula dos pelos é considerada um caractere taxonômico para mamíferos, ainda que algumas espécies não possam ser identificadas pelo método devido à grande similaridade entre elas. A maioria dos estudos tricológicos utiliza apenas dados qualitativos, que tendem a ser subjetivos. Entre os primatas neotropicais, poucos são os estudos que avaliaram a microestrutura dos pelos com finalidade taxonômica. O presente estudo tem como objetivo caracterizar qualitativa e quantitativamente a microestrutura do pelo guarda de espécies brasileiras da família Pitheciidae com possíveis aplicações taxonômicas. Amostras de pelos foram coletadas de exemplares depositados em coleções científicas e de animais vivos da Fundação Zoobotânica de Belo Horizonte. Para a confecção das lâminas de cutícula, foi feita a impressão em esmalte incolor e para a visualização da medula, o pelo foi descolorido. A microestrutura da cutícula e medula foi caracterizada de acordo com a literatura. Para as análises quantitativas foram medidas dez escamas cuticulares, e na medula realizadas em três regiões diferentes. As medidas nas escamas foram: maior altura (MA) e maior largura (LA), calculando o Índice Cuticular (IC). Na medula, também foram aferidas a largura da medula (LM) e largura do pelo (LP), calculando o Índice Medular (IM). Para as análises estatísticas, foi feita Análise de Variância. Para melhor visualização da distribuição dos dados, foram realizados o Box Plots e gráficos ternários com os dados morfométricos. O padrão cuticular de todas as espécies estudas foi semelhante, sendo ele pavimentoso, ondeado, transversal. Entretanto é possível diferençar o gênero Pithecia devido a presença de escamas estreitas, e o gênero Chiropotes possuindo as escamas mais largas da família. O padrão medular dos gêneros Callicebus, Cheracebus e Plecturocebus foi semelhante sendo a medula presente, contínua com células alveolares. Os gêneros Pithecia, Chiropotes e Cacajao apresentaram medula presente, contínua com células no formato poligonal regular. É possível diferenciar Chiropotes e Cacajao devido ao grau de condensamento das células, sendo as mais condensadas no gênero Chiropotes. No Box Plot do índice medular é possível ver a separação da família em três grupos semelhantes aos indicados pela análise morfológica: o primeiro composto pelos gêneros Pithecia com os maiores índices, o segundo  formado pelos gêneros Callicebus, Cheracebus e Plecturocebus com índices intermediários, e o terceiro formado por Chiropotes e Cacajao, com os menores índices. Apesar da pequena sobreposição, existem diferenças significativas entre os grupos (p<0,05). No gráfico ternário, os gêneros se dividiram em grupos semelhantes aos formados pelo IM, sendo o gênero Pithecia o mais distante dos gêneros. O grupo formado pelo Cacajao e Chiropotes está separado daquele formado por Callicebus, Plectorocebus e Cheracebus, porém com uma distância menor do que o do grupo Pithecia está em relação aos outros. Tanto os resultados morfológicos quanto os morfométricos agregam os gêneros da família Pitheciidae em três grupos. Estes agrupamentos corroboram com os aqueles propostos no estudo de filogenia molecular de primatas realizado por Perelman et al. (2011). A microestrutura do pelo é um caractere válido dentro da família Pitheciidae.

Palavras-chave

Cutícula; Medula, Análise Qualitativa; Análise Quantitativa; Taxonomia

Financiamento

Capes

Área

Sistemática e Taxonomia

Autores

Flávio Coelho, Gisele Lessa Lessa