X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

Anatomia do coração de Artibeus lituratus (Olfers, 1818)

Resumo

A anatomia cardiovascular dos morcegos é um campo pouco explorado pela biologia. O coração, que bombeia o sangue pelo organismo, faz um papel crucial na manutenção do alto metabolismo desses mamíferos voadores, então compreendê-lo traz luz às adaptações desses animais. O objetivo desse trabalho foi descrever a anatomia do coração da espécie de morcego neotropical Artibeus lituratus (Olfers, 1818), família Phyllostomidae. Quinze indivíduos foram coletados na Universidade Federal de Minas Gerais – Pampulha, eutanasiados e dissecados, e feitas as descrições anatômicas do coração na cavidade torácica e isolado. O coração de A. lituratus se localiza no centro da cavidade torácica, entre os pulmões, com seu ápice apontando para a esquerda. O pericárdio parietal dá origem a um ligamento esternopericardial extenso que prende o coração a todo o comprimento do esterno e outro que o prende ao diafragma, sustentando os grandes vasos descendentes. O coração tem formato ovalado, a base mais larga que o ápice. As aurículas possuem formato triangular, a direita maior que a esquerda. Um tronco aórtico curto se origina na base cardíaca e dá origem a dois vasos de igual calibre, o vaso inominado, que se curva à direita e o arco transverso, que se curva à esquerda originando a aorta descendente. À esquerda do tronco aórtico se encontra o tronco pulmonar, que dá origem a duas artérias pulmonares. Há duas veias cavas superiores, localizadas dorsalmente às aurículas e uma veia cava inferior, que desembocam na face dorsal do coração, a inferior abaixo da superior direita. Duas a três veias pulmonares se abrem entre as veias cavas. O ventrículo direito apresenta um cone arterioso conspícuo. Dois a quatro músculos papilares sustentam a válvula atrioventricular direita bicúspide, constituída de um folheto, por cordas tendíneas. O ventrículo esquerdo bombeia para o tronco aórtico, apresenta parede muscular mais espessa e dois músculos papilares, que sustentam uma válvula atrioventricular bicúspide, constituída de dois folhetos, por cordas tendíneas. Válvulas semilunares guardam o orifício dos troncos aórtico e pulmonar. O ligamento esternopericardial extenso, as veias cava anteriores e ramos aórticos duplicados, o cone arterioso proeminente e a válvula atrioventricular direita de folheto único parecem ser características compartilhadas entre os quirópteros, observados em trabalhos anteriores na família Pteropodidae. A primeira indica uma adaptação à posição de repouso invertida desses animais, mantendo o coração no lugar. A segunda também foi observada em outras espécies da família Phyllostomidae, é um caráter ancestral em relação ao plano geral dos mamíferos, visto também em outras ordens, um aspecto comum para mamíferos com grande fluxo sanguíneo pelos vasos coronários. O cone arterioso funciona como uma câmara separada, sendo proeminente nos morcegos estudados. A anatomia da válvula atrioventricular direita é pouco conservada entre os mamíferos, mas a presença de apenas um folheto parece ser uma característica comum dos quirópteros. A anatomia coração de Artibeus lituratus é semelhante à de outros morcegos estudados. Em geral, o coração dos quirópteros é semelhante ao plano geral dos mamíferos, com algumas características apresentando modificações.

Palavras-chave

Morcego, coração, anatomia, Artibeus lituratus

Financiamento

CAPES

Área

Anatomia e Morfologia

Autores

Júlia Guimarães Mendes Alves, Adriano Pereira Paglia, Jader Cruz