X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

O QUE DADOS MORFOLOGICOS E MOLECULARES NOS DIZEM SOBRE A POSIÇAO FILOGENETICA DE ABRAWAYAOMYS (RODENTIA: CRICETIDAE)

Resumo

A posição filogenética da Abrawayaomys ruschii tem sido inferida desde sua descrição, feita 40 anos atrás. Semelhanças na pelagem e na série molar foram traçadas entre Abrawayaomys e Neacomys, Akodon ou Oryzomys. Análises cladísticas morfológicas apontaram para Abrawayaomys como grupo irmão de Rhagomys ou dos roedores da tribo Thomasomyini com distribuição quase exclusivamente Andina. As primeiras análises filogenéticas moleculares, empregando as sequências dos genes IRBP e Citocromo b, posicionaram Abrawayaomys variavelmente junto às tribos Akodontini, Thomasomyini, Reithrodontini ou Euneomyini. Um alto índice de bootstrap, de 98%, foi encontrado apenas para o clado Abrawayaomys + Reithrodontini, em inferência bayesiana com citocromo b. Ainda assim, esse táxon permanece atualmente como Sigmodontinae incertae sedis. O objetivo desta contribuição é fornecer uma hipótese de relacionamento para Abrawayaomys baseada no emprego, pela primeira vez, de caracteres morfológicos e moleculares concatenados. Foram empregados 76 caracteres de pele, crânio e dentes, bem como as sequências de cinco genes nucleares: IRBP (inter-photoreceptor retinoid-binding protein), RAG1 (recombination activating gene 1), I7FGB (intron 7 of the nuclear-fibrinogen gene), GHR (growth hormone receptor) e BRCA1 (breast cancer type 1) e o mitocondrial Citocromo B, totalizando 7361 pares de bases. Foram incluidos representantes de todas as tribos reconhecidas para Sigmodontinae, totalizando 33 espécies. Foram realizadas (i) uma análise de parcimônia, no programa TNT, com buscas com 1000 sequências de adições aleatórias e usando os algoritmos Sectorial search, Tree fusing e Drift como fornecidos pelo programa; e (ii) uma análise de máxima verossimilhança, feita no programa RAxML, na qual cada gene ocupou uma partição e o modelo evolutivo aplicado foi o GTR. Foram encontradas sete árvores mais parcimoniosas com 6766 passos cada. Os clados Sigmodontalia e Oryzomyalia foram recuperados, e dentro deste último, a dicotomia mais basal separa o clado ((Abrawayaomys, Reithrodon) Rhagomys rufescens), do restante dos Oryzomyalia. O clado formado por (Abrawayaomys, Reithrodon) é definido por duas sinapomorfias: borda supraorbital quadrada e bula auditiva desenvolvida a ponto de encobrir quase completamente o osso periótico em vista ventral. O suporte de bootstrap para esse agrupamento, no entanto, é abaixo de 50%. O resultado da análise de máxima verossimilhança corrobora a relação entre Abrawayaomys e Reithrodon, com índice de bootstrap de 73%. Nesta análise, esse clado é grupo irmão de Thomasomyini, do qual Rhagomys é o primeiro táxon a se separar. Esses resultados deixam claro que as relações entre alguns desses táxons ainda não estão bem entendidas e apontam para a necessidade de análises adicionais de caracteres morfológicos e moleculares.

Palavras-chave

Dados concatenados, Reithrodontini, morfologia, molecular, Sigmodontinae incertae sedis.

Financiamento

Área

Sistemática e Taxonomia

Autores

Filipe Souza Gudinho, Marcelo Weksler