X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PRIMEIRO REGISTRO DE LEUCISMO EM MORCEGO DA ESPECIE MACROPHYLLUM MACROPHYLLUM (SCHINZ, 1821)

Resumo

O leucismo é uma anomalia na pigmentação dos animais, que consiste na perda parcial da cor natural da espécie em certas regiões do corpo ou em todo o corpo, exceto nos olhos e/ou extremidades corpóreas. Já no albinismo, além da pele e mucosas a cor dos olhos também é afetada. Na literatura, 67 espécies de morcegos foram reportadas com a mutação, sendo um fenômeno pouco comum em morcegos. Macrophyllum macrophyllum é uma espécie de morcego de pequeno porte, caracterizado pelas orelhas bem desenvolvidas, separadas e pontudas, folha nasal relativamente grande e com quilha mediana conspícua. É facilmente reconhecido pela cauda e membrana interfemural bem desenvolvidas, possuindo na face ventral fileiras longitudinais de dentículos dermais. Esta espécie possui distribuição em todo o leste da América Central e América do Sul. No Brasil já foi observada no AC, AM, AP, BA, ES, GO, MG, PR, RJ e SP. Através dos dados obtidos em campo, este trabalho tem como objetivo relatar o primeiro caso de leucismo em M. macrophyllum na literatura científica. Realizamos o estudo de maio de 2018 a abril de 2019, em uma galeria de linha férrea localizada no município maranhense de Governador Edison Lobão (5°40'05.2"S, 47°27'00.9"W). Os morcegos foram capturados usando redes de neblina armadas em um dos lados da galeria, enquanto a outra abertura era fechada com uma lona. Os testemunhos foram incorporados à Coleção de Zoologia da Universidade Federal do Maranhão, Campus Imperatriz. Foram capturados sete morcegos da espécie M. macrophyllum, todos machos, com ocorrência de duas recapturas nos meses de janeiro e março de 2019. Observamos características de leucismo em um indivíduo macho adulto, capturado em 18 de agosto de 2018, com as seguintes medidas: antebraço - 35 mm; tíbia - 15 mm; orelha - 9 mm; cauda - 35 mm; e, peso de 8 g. No espécime, o leucismo se expressou claramente, a cor da pelagem completamente branca, com os olhos de coloração negra, patágio parcialmente despigmentado e unhas levemente rosadas. Na natureza a ocorrência de leucismo deve ocorrer numa frequência inferior a 1% e é menos frequente em animais de vida livre. O leucismo ocorre devido a expressão de alelos recessivos, sendo mais frequente o surgimento de indivíduos leucísticos em populações pequenas e isoladas. Além da redução de variabilidade genética e aumento de homozigose, fatores como a deficiência nutricional e contaminação ambiental também podem ser relacionados ao leucismo. Colônias de M. macrophyllum são pouco comuns e de poucos indivíduos, podendo aumentar a probabilidade de leucismo por endogamia. Não há consenso sobre quais fatores influenciam o surgimento da anomalia em populações selvagens e sua relação aos aspectos ecológicos. Destaca-se, assim, a necessidade de coleta de amostras de material genético destes espécimes, a fim de permitir maior compreensão sobre os processos genéticos e ecológicos relacionados.

Palavras-chave

Amazônia, albinismo, abrigo artificial

Financiamento

Área

Anatomia e Morfologia

Autores

Wesley Silva de Almeida, Henrique Morais Menezes, Jefferson da Silva Cavalcante, Aline Damacena dos Santos, Ciro Líbio Caldas dos Santos