X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

ANALISE MORFOMETRICA CRANIANA DE DUAS ESPECIES DE MORCEGOS DO GENERO: CAROLLIA (GRAY, 1838E

Resumo

Os quirópteros compõem a segunda maior ordem dentre os mamíferos, ocupando uma ampla gama de atuação em diferentes nichos tróficos, dentre os quais, nectarívos, frugívoros, insetívoros, carnívoros e hematófagos. O gênero Carollia compreende oito espécies: C. benkeithi Solari e Baker, 2006; C. brevicauda (Schinz, 1821); C. castanea Allen, 1890; C. manu Pacheco et al., 2004; C. monohernandezi Muñoz et al., 2004; C. perspicillata (Linnaeus, 1758); C. soweli Baker et al., 2002 e C. subrufa (Hahn, 1905). Em território brasileiro há ocorrência de quatro espécies, C. benkeithi Solari e Baker, 2006; C. brevicauda (Schinz, 1821); C. castanea Allen, 1890; e C. perspicillata (Linnaeus, 1758). O presente estudo teve como objetivo verificar a presença de dimorfismo sexual e de variação na morfologia craniana das espécies C. castanea e C. perspicillata. Foram analisados 10 espécimes de C. perspicillata (cinco machos e cinco fêmeas) e quatro espécimes de C. castanea (dois machos e duas fêmeas) depositados no acervo da Coleção Mastozoológica da PUC Goiás, procedentes dos Estados de Goiás e Maranhão. O material osteológico foi preparado por meio do método de maceração, sendo analisados 15 caracteres morfométricos. As análises dos dados foram realizadas por meio da Análise de Componentes Principais (PCA), para verificar a existência de diferenças entre as espécies e do Teste de Mann-Whitney, para analisar a existência de dimorfismo sexual. Os dois primeiros eixos da PCA explicaram 61% da variação. Tanto a PCA quanto o Teste de Mann-Whitney não demonstraram separação de grupos, indicando que, com base nos caracteres analisados, não há variação significativa entre as espécies e não existe variação sexual dentro das espécies. Os resultados apresentados podem ser explicados pelo N amostral baixo, indicando a necessidade de analisar um número de indivíduos que seja representativo das populações e da utilização, nesses casos, de abordagens comparativas clássicas.

Palavras-chave

Morfologia craniana, dimorfismo sexual, Chiroptera, Carollia, 

Financiamento

Área

Anatomia e Morfologia

Autores

Wedder Ferreira Dos Santos, Lhayza Monnique Cruvinel Arantes, Matheus Godoy Pires