X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

VARIAÇAO MORFOMETRICA E INFERENCIAS TAXONOMICAS EM MOLOSSOPS NEGLECTUS (CHIROPTERA: MOLOSSIDAE)

Resumo

Molossops possui duas espécies válidas, M. temminckii amplamente distribuída na América do Sul e M. neglectus, descrita com base em um espécime do Suriname. Após a descrição de M. neglectus, poucos registros adicionais foram feitos para o norte da América do Sul. Entretanto, nos últimos 20 anos houve diversos registros de M. neglectus para o sul do continente, incluindo o nordeste da Argentina, e sul e sudeste do Brasil. Os dados morfométricos descritivos apontam para uma variação no tamanho entre as amostras do norte e sul de M. neglectus na América do Sul, resultando na descrição informal de uma subespécie, M. n. olrogi nos anos 1980. Este trabalho objetiva o estudo de variação morfométrica de M. neglectus aplicando testes multivariados e suas possíveis inferências para a delimitação de linhagens em M. neglectus. O material examinado incluiu espécimes de M. temminckii e M. neglectus depositados em diversas instituições no Brasil (CMUFLA e MZUSP) e na América do Norte (ROM e AMNH), além das medidas do holótipo depositado no Carnegie Museum. Para a PCA e MANOVA foram examinados 30 espécimes, sendo 19 fêmeas e 11 machos, e oito variáveis: comprimento do antebraço e sete medidas crânio-dentárias. Foram feitas análise de PCA e MANOVA para os sexos separadamente e em duas etapas: uma análise incluindo M. temminckii e M. neglectus e outra somente M. neglectus com amostras do sul e do norte; para esta última, por questões de amostragem, somente em fêmeas, pois havia somente um macho de M. neglectus do sul. As análises foram feitas no PAST©. Para fêmeas, incluindo as duas espécies, o PC1 explicou 94,5% e PC2 3,5% da variação total e a MANOVA foi significante com P = 9,77E-09 para M. temminckii e M. neglectus do norte e P = 0,002 para M. temminckii e M. neglectus do sul, mas não houve diferença significativa entre as duas amostras de M. neglectus. Para machos o PC1 explicou 96% e PC2 = 2,3% e o teste MANOVA só foi aplicado para M. temminckii e M.neglectus do norte com P = 0,11. O teste comparando as amostras de M. neglectus do norte e sul foi somente para fêmeas e não houve significância com P = 0,1. Embora haja a descrição informal de uma subespécie para as amostras de M. neglectus do sul (M. n. olrogi) nossos dados morfométricos não indicam diferenças significativas para este conjunto de dados, e portanto, uma distinção em nível de espécie não se sustenta pelos dados aqui apresentados. Uma análise molecular do gênero está em andamento para uma posição mais robusta acerca do status taxonômico de ambas as amostras de M. neglectus. 

Palavras-chave

variação geográfica, delimitação de linhagens, PCA

Financiamento

CNPq processo 402330/2016-1.

Área

Sistemática e Taxonomia

Autores

Renato Gregorin, Matheus C S Mancini, Gabriela Passos Vicente, Jacqueline S Xavier