X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

PESQUISA DE HANTAVIRUS EM ROEDORES DA REGIAO NORDESTE

Resumo

A síndrome pulmonar por hantavírus (SPH) é uma doença emergente de alta letalidade, transmitida principalmente pela inalação de aerossóis provenientes de excretas de roedores silvestres. De 1993 até 2018 mais de dois mil casos de SPH foram reportados em todo território brasileiro, sendo apenas 15 casos na região Nordeste, nos estados do Maranhão (11), Rio Grande do Norte (3) e Bahia (1). Até o momento, apenas dois genótipos de hantavírus foram identificados nesta região: o vírus Rio Mearim no roedor Holochilus sciureus e o vírus Anajatuba no roedor Oligoryzomys mattogrossae, no estado do Maranhão, este último associado a casos humanos. Assim, existe uma carência de estudos relacionados à identificação de áreas de circulação de vírus em reservatórios silvestres e a caracterização de potenciais reservatórios nesta região, bem como a ocorrência de casos de SPH. O estudo envolveu um total de 153 amostras de roedores capturados em 08 municípios nos estados da Bahia (78), Pernambuco (33) e Ceará (42) no ano de 2015. Soro/sangue dos roedores foram analisados por ensaio imunoenzimático (ELISA) para detecção de anticorpos da classe IgG usando a nucleoproteína recombinante do vírus Andes. As amostras de soro de roedores pertenciam aos gêneros: Wiedomys (2), Oligoryzomys (1), Calomys (56), Thrichomys (25), Cerradomys (22), Necromys (35), Holochilus (3), Euryoryzomys (8), Oecomys (1). As análises revelaram a presença de anticorpos para hantavírus em três espécies de roedores (1,96% - 3/153): (01) Cerradomys vivoi de Palmeiras-BA (1,28% - 1/78), (01) Cerradomys langguthi e (01) Euryoryzomys sp.nov. de Guaramiranga-CE (4,76% - 2/42). Nenhuma amostra dos animais provenientes de Pernambuco apresentou anticorpos anti-hantavírus. Este é o primeiro relato de roedores dos gêneros Euryoryzomys e Cerradomys sororreativos para hantavírus. O presente estudo fornece novos dados sobre hantavírus na região Nordeste do Brasil, visto que o estado do Ceará, atualmente é considerado uma área silenciosa para SPH, apesar de relatos anteriores de sororreatividade em roedores da espécie Necromys lasiurus. Nossos resultados, aliado aos outros estudos sugerem fortemente a circulação de hantavírus em roedores silvestres em áreas previamente consideradas não-endêmicas para hantaviroses.

Palavras-chave

hantavírus, ELISA, Nordeste

Financiamento

Cnpq - PIBIC

Área

Parasitologia/Epidemiologia

Autores

Gustavo Soares Farias