X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

INFLUENCIA DOS TIPOS FITOFISIONOMICOS NA OCORRENCIA DE MAMIFEROS EM AREAS DE CAATINGA STRICTO SENSU SOBRE INFLUENCIA DO PROJETO DE INTEGRAÇAO DO RIO SAO FRANCISCO

Resumo

Os mamíferos compreendem um grupo com alta diversificação e ocorrência nos diferentes tipos de ambientes terrestres e aquáticos, com uma infinidade de características próprias. Na região do semiárido nordestino pouco se sabe sobre os padrões de ocorrência e quais as fitofisionomias da Caatinga stricto sensu influenciam na distribuição dos mamíferos silvestres. Dessa forma, este estudo teve como objetivo relacionar os tipos fitofisionômicos encontrados em áreas de Caatinga stricto senso com a presença dos subgrupos da mastofauna. Os dados foram obtidos em nove sítios amostrais com uma área de 12,56 km² cada, localizados nos municípios de Cabrobó, Salgueiro, Floresta e Custódia no estado de Pernambuco. Os pequenos mamíferos não voadores foram capturados com armadilhas de contenção viva. Redes-de-neblina e busca ativa em abrigos foram os métodos aplicados para o registro dos morcegos. Armadilhas fotográficas e busca ativa foram as técnicas aplicadas para obtenção dos dados dos mamíferos de médio e grande porte. As imagens de satélite de cada área foram analisadas quanto as fitofisionomias e a validação destas informações foram realizadas após vistoria em campo e de acordo com as descrições dadas por Ab’Saber (1977). Os resultados da composição de cada subgrupo de fauna foram analisados pela correspondência canônica (CCA), mensurando a correlação entre as categorias das fitofisionomias, além da presença de corpos d’água, edificações e solo exposto, presentes em casa sítio amostral. Os pequenos mamíferos não voadores estiveram correlacionados as áreas de caatinga arbustiva densa -cbd (eingenvalue = 0,051; p = 0,04) e caatinga arbórea - cba (eingenvalue = 0,038; p = 0,02), sendo que os dois eixos principais da CCA explicaram mais de 75% dessas ocorrências. Os quirópteros estiveram relacionados mais fortemente com áreas com agropecuária - agp (eingenvalue = 0,631; p < 0,01), caatinga arbustiva densa - cbd (eingenvalue = 0,381; p = 0,01) e os corpos d’água - cda (eingenvalue = 0,146; p = 0,04), com mais de 54% das ocorrências explicadas pelos dois primeiros eixos. A correlação da CCA para os mamíferos de médio e grande porte e as variáveis não indicou resultados significativos. As análises indicaram que os pequenos mamíferos (voadores e não voadores) estão associados a diferentes tipos de fitofisionomia, principalmente em áreas mais preservadas com a presença de fragmentos de caatinga arbustiva densa e caatinga arbórea. Os morcegos também exibiram forte associação com a presença de corpos d’água, principalmente as espécies que utilizam esse ambiente e o entorno para forrageio. Os mamíferos de médio e grande porte provavelmente são influenciados em uma escala mais ampla, como a paisagem. As escalas locais e regionais parecem afetar de maneiras diferentes os grupos de mamíferos, sendo que as menores espécies estão associadas com os microhabitats e nichos disponíveis.

Palavras-chave

Mastofauna; Semiárido; Impacto ambiental.

Financiamento

Ministério do Desenvolvimento Regional

Área

Ecologia

Autores

LEANDRO SILVA OLIVEIRA, JÉSSICA VIVIANE AMORIM FERREIRA, IARDLEY CÍCERO GOMES VARJÃO, PATRÍCIA AVELLO NICOLA, lUIZ CEZAR MACHADO PEREIRA