X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

COMPOSIÇAO TEMPORAL DE UMA ASSEMBLEIA DE MORCEGOS EM UMA REGIAO CARSTICA DE MINAS GERAIS, BRASIL.

Resumo

A Área de Proteção Ambiental Carste de Lagoa Santa (APA Carste) localiza-se no estado de Minas Gerais, ocupando uma área aproximada de 35.600 hectares em quatro municípios. A fauna associada à APA Carste vem se mostrando rica, sendo conhecidas 29 espécies de morcegos para a região, representando cerca de 40% das espécies registradas para o estado. Neste trabalho, comparamos dois inventários da fauna de morcegos realizados em uma área da APA, com um intervalo de dez anos entre o primeiro inventário e o mais recente. Avaliamos a diversidade de espécies entre os dois períodos para investigar se houve perda de diversidade. Os dados foram obtidos na Fazenda Cauaia, propriedade privada com aproximadamente 1,760 hectares, sendo que quase metade é de área preservada de paredões rochosos. Na região, são encontradas formações vegetacionais típicas dos biomas da Mata Atlântica com manchas de floresta estacional decidual, semidecidual e cerrado. A captura dos morcegos foi realizada mensalmente com redes de neblina instaladas no exterior de cavidades dos paredões. O primeiro inventário ocorreu de fevereiro de 2007 a janeiro de 2008 (ano 1) e o segundo de dezembro de 2018 até o presente momento (ano 2). O esforço amostral foi padronizado entre os dois períodos para eliminar qualquer viés amostral, totalizando 670 horas/rede para o ano 1 e 663 horas/redes para o ano 2. Foi realizado o teste de diversidade alfa (Shannon) e analisado o índice de equitabilidade para comparação entre os dois períodos. Para a comparação das assembleias foi realizada uma análise de ordenação (NMDS) utilizando o coeficiente de Gower. Os resultados apresentados são referentes aos dados coletados entre fevereiro e maio (para os dois inventários), visto que a amostragem recente está em andamento. No ano 1, foram coletados 214 indivíduos de 15 espécies, 13 gêneros e duas famílias. No ano 2, foram coletados 105 indivíduos de 15 espécies, divididos em 11 gêneros e duas famílias. O índice de equitabilidade foi 0.7067 para o ano 1 e 0.7738 para o ano 2 e o índice de Shannon foi de 1.914 para o ano 1 e de 2.085 para o ano 2. Esses resultados são relevantes, pois índices positivos e equivalentes (Teste t-Hutcheson, t=1.272877; n=214,105; p>0,05), depois de dez anos de amostragem, indicam que as populações de morcegos locais supostamente são hábeis para suportar de um modo geral os níveis de perturbações presentes na região. Entretanto, o coeficiente de Gower mostrou uma alteração na abundância das espécies mais comuns entre os dois períodos de coleta. A abundância de Nyctinomops laticaudatus foi de n=68 no ano 1 e n=13 no ano 2, de Platyrrhinus lineatus n=66 no ano 1 e n=6 no ano 2 e de Artibeus planirostris n=13 no ano 1 e n=40 no ano 2. Com isso, é necessário ampliar as amostragens no ano 2 para verificar efetivamente se está ocorrendo uma mudança no padrão de abundância das espécies nessa assembleia de morcegos e qual o significado dessa mudança, visto que a região é altamente pressionada por atividades agropecuárias e de mineração. 

Palavras-chave

Quirópteros; Conservação, Diversidade, Matozinhos

Financiamento

Fundo de Incentivo à Pesquisa (FIP) PUC Minas

Área

Inventário de Espécies

Autores

Pedro Igor Macário Viana, Luísa Lauren Lima Vidal, Jennifer Emanuele Ferreira, Sônia Aparecida Talamoni