X CONGRESSO BRASILEIRO DE MASTOZOOLOGIA

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


TÍTULO

DISTRIBUIÇAO POTENCIAL DE LONCHOPHYLLA MORDAX (MAMMALIA, CHIROPTERA)

Resumo

Lonchophylla mordax é um nectarívoro de porte médio exclusivamente brasileiro, com ocorrência em áreas ecótones de Mata Atlântica e Caatinga. Apesar da distribuição territorial relativamente bem documentada na literatura, alguns registros permanecem obscuros quanto às identificações, que em alguns casos seriam atribuídas à L. inexpectata. Dados sobre a história natural de L. mordax são considerados escassos, no entanto, a espécie é classificada como “pouco preocupante” na “Lista Vermelha” da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN), e não consta na “Lista de Espécies Brasileiras Ameaçadas de Extinção” do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio). Logo, tal classificação deve ser revisada, segundo o livro-texto mais recente publicado no país “História Natural dos Morcegos Brasileiros”, e isto pode ser devido a espécie possuir dois atributos que merecem melhor avaliação: (i) a distribuição restrita, (ii) e o grau de ameaça dos dois biomas no qual está inserida. O objetivo para este estudo é avaliar a distribuição potencial de L. mordax, por meio da modelagem de nicho ecológico. Os pontos de ocorrência, extraídos da literatura e dos dados de campo de colaboradores, foram cuidadosamente filtrados e adequados ao total de um ponto por célula de 30 arc-seg. Quanto as variáveis preditoras, estas obtidas nas plataformas Worldclim e Mapbiomas, passaram por um pré-tratamento estatístico consistindo em: análises de correlação de Spearman; fator de inflação da variância (VIF) para detectar multicolinearidade e componentes principais (PCA) para delegar a influência de cada fator ao nicho simulado, além da padronização dos rasters pela relativização dos seus valores. Ao final do processo foram elencadas quatro variáveis climáticas (bio 03,10,17,18), e duas (elevação e heterogeneidade ambiental por meio da cobertura vegetal). As projeções se deram por meio da combinação de algoritmos: os envelopes climáticos Bioclim e Domain, os estatísticos de presença/ausência GLM e Random Forest, os de presença/background MaxEnt e SVM; em 20 aleatorizações, sendo que 70% era direcionado para treino e 30% para teste. A avaliação da modelagem se deu com o true skills stastistic (TSS) o treshold. Para todos os procedimentos aqui descritos, foi utilizado o software R versão 3.6.0 e, para confecção dos mapas finais, o software QGIS versão 3.6.3. A modelagem se mostrou precisa, com overall de valores igual à 0.794 (0>x<1.) de TSS e 0.498 (.5<x<.6) de treshold. É notável a afinidade da espécie com a porção mais a leste da região nordeste nos estados do Rio Grande do Norte, Alagoas e Pernambuco. De todo modo, a sua distribuição geográfica restrita requer muita atenção, devido à fragilidade dos ecossistemas envolvidos. Os resultados apresentados buscaram melhorar o panorama de dados sobre história natural de L. mordax, contribuindo diretamente para estratégias de conservação da espécie.

Palavras-chave

morcegos, endemismo, L. mordax, MDP

Financiamento

Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG)

Área

Biogeografia/Macroecologia

Autores

Lucas Laboissieri Del Sarto Oliveira, Matheus Camargo Silva Mancini, Letícia Langsdorff Oliveira, Ana Beatriz Ligo, Arthur Setsuo Tahara, Renato Gregorin